PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Bolsonaro erra cálculo: queda de 4% e alta de 5% não gera aumento de 9% no PIB

Caso fosse feito de forma correta, o cálculo indicaria crescimento do PIB em torno de 1%; Bolsonaro afirmou, na mesma entrevista, que "a economia está indo muito bem"

01:50 | 22/07/2021
Bolsonaro errou cálculo do PIB em entrevista à Rádio Jovem Pan de Itapetininga (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Bolsonaro errou cálculo do PIB em entrevista à Rádio Jovem Pan de Itapetininga (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro errou cálculo ao comentar sobre a previsão de recuperação da economia brasileira. Nesta quarta-feira, 21, ele citou o PIB negativo de 4% em 2020 e a expectativa de que o país deve crescer 5% neste ano. Bolsonaro afirmou que isso resultaria em um "milagre" de 9% de crescimento. A fala foi dada durante entrevista a uma rádio do interior de São Paulo.

"Alguns projetam um crescimento de 5% positivo esse ano… Se é 5% positivo e o ano passado foi 4% negativo, crescemos 9%. É um milagre. É uma coisa inacreditável", afirmou Bolsonaro.


No entanto, essa não é a forma certa de se calcular percentuais. Caso fosse feito corretamente, o resultado indicaria crescimento menor do que 1% nos últimos dois anos.

Bolsonaro também comemorou o resultado da arrecadação. Segundo ele, o crescimento neste semestre, de 24,49% sobre o valor acumulado de janeiro a junho de 2020, causa uma "preocupação positiva". "A arrecadação tem aumentado assustadoramente. Fiquei até preocupado positivamente, óbvio", disse o presidente.

Bolsonaro fala de novo Bolsa Família

Durante a conversa, o presidente também comentou sobre a promessa do novo Bolsa Família. Segundo Bolsonaro, o problema atinge "22 milhões de pessoas" que esperam notícias do programa.

Até o momento, não foi divulgado como a equipe econômica irá aumentar o número de beneficiários e nem o valor médio do pagamento."Estamos aqui propensos, interessados, de com toda responsabilidade, sem falar em furar teto, chegar no mínimo de R$ 300", disse o presidente. "Como ninguém pode negar, a economia está indo muito bem", afirmou.

Mais sobre Economia