PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Ceará destinará R$ 940 milhões a educação, saúde, segurança e infraestrutura

Em Brasília, Camilo Santana (PT) anunciou que os recursos vão permitir manter a capacidade de investimentos e serão destinados aos projetos do Governo

Samuel Pimentel
15:47 | 17/06/2021
Governador Camilo Santana viajou a Brasília com os secretários estaduais Mauro Benevides Filho e Fernanda Pacobahyba. (Foto: Reprodução / Twitter)
Governador Camilo Santana viajou a Brasília com os secretários estaduais Mauro Benevides Filho e Fernanda Pacobahyba. (Foto: Reprodução / Twitter)

Atualizada às 20h30min do dia 17/06/2021, com entrevista com o secretário do Planejamento do Ceará, Mauro Filho

O Governo do Ceará oficializou nesta quinta-feira, 17, uma operação de crédito com o Banco do Brasil no valor de R$ 940 milhões. Em Brasília, Camilo Santana (PT) anunciou que os recursos vão permitir manter a capacidade de investimentos e serão destinados aos projetos do Governo.

LEIA MAIS | Chesf busca parceiros para obras de energia no Ceará e mais quatro estados do Nordeste

+ Empresa abrirá linha de montagem de painéis de energia solar no Ceará, revela secretário

Segundo o secretário Mauro Benevides Filho, do Planejamento, a operação com o BB busca manter o Estado do Ceará com um dos maiores investimentos frente à receita, de 12%. Ele exemplifica até o que acontece no Estado de São Paulo, com percentual de investimento em apenas 6%.

Quanto aos projetos a serem beneficiados com o novo crédito - negociado com carência de dois anos e pagamento possível em oito -, o secretário afirma serem para as áreas da educação, como para escolas de ensino médio de dois turnos, profissionalizantes e compra de tablets; saúde, no reforço a hospitais regionais; segurança pública; e infraestrutura, para estradas e portos, por exemplo. 

"Isso é fundamental para melhorarmos a qualidade de vida dos cearenses, principalmente aumentando a geração de empregos à nossa população. Desde 2015 somos o estado que mais investe no País, de acordo com a receita corrente líquida", afirmou Camilo.

O Estado busca hoje manter um nível de endividamento em 54% sobre a receita correte liquida. "A dívida consolidada líquida sobre receita liquida em 2019 era de 71,3%. Em 2020, 54,4%", informa Mauro Filho, que afirma ainda que o Ceará tem muita margem para buscar crédito no mercado.

Para fechar a tomada de crédito junto ao Banco do Brasil, Mauro Filho coloca que foram decisivas as taxas de juro mais baixas do banco e a operação de crédito em dez anos. Após publicação no Diário Oficial da União, o valor será disponibilizado ao Estado em até 48 horas. "O Estado tem confiabilidade para recorrer a crédito e vem honrando anualmente com todos os seus contratos. Nunca entrou no Governo Federal para fazer qualquer tipo de questionamento quanto a dividas, como 23 (estados) já fizeram", acrescenta o secretário. "Segundo o banco nos disse, essa operação foi a mais rápida, desde o início da tratativa, que o banco poderia registrar."

Estiveram junto do governador na agenda, os secretários Mauro Benevides Filho e Fernanda Pacobahyba (titular da Fazenda). Assinou o documento pelo Banco do Brasil o vice-presidente, Antônio José Barreto. (Colaborou Adailma Mendes)