PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Bitcoin chega ao "mainstream" e já é comparado ao investimento em ouro

Pesquisa realizada pela Fundação Getulio Vargas (FGV) analisou o comportamento dos investimentos entre março e julho de 2020. A criptomoeda foi considerada investimento seguro, comparável ao dólar ou ações

Samuel Pimentel
11:15 | 15/06/2021
O bitcoin é a mais popular das criptomoedas. (Foto: Divulgação)
O bitcoin é a mais popular das criptomoedas. (Foto: Divulgação)

O período de pandemia no mundo e as diversas mudanças no ambiente econômico modificaram a forma de investir. Na maioria dos mercados, os juros caíram e para conseguir maior rentabilidade foi necessário realizar investimentos mais ousados. Neste contexto, uma pesquisa realizada pela Escola de Administração de Empresas da Faculdade Getulio Vargas (FGV/EAESP) revelou que o Bitcoin se tornou um investimento popular e pode ser considerado um aporte seguro.

O levantamento foi realizado pelos pesquisadores Eduardo H. Diniz e Natália Diniz-Magnini, analisando o comportamento dos investimentos em Bitcoin entre março e julho de 2020. A criptomoeda foi destaque durante a pandemia, junto de outros ativos mais tradicionais, como ouro, e se tornou um refúgio para investidores protegerem seus ativos. As informações foram publicadas na revista "Research in International Business and Finance” e divulgadas primeiramente na Agência Bori.

Os pesquisadores da FGV chegaram à conclusão de que investir em Bitcoin é seguro após analisar o comportamento dos investimentos no período. Os índices obtidos eram comparáveis aos investimentos em ações ou em dólar.

“Analisamos as variações de preços do Bitcoin a cada cinco minutos, verificando se a criptomoeda foi um investimento seguro na comparação com o índice internacional Morgan Stanley (MCSI), utilizado no mercado de ações, e o índice dólar, usado para investimentos cambiais”, explica Diniz-Maganini.

VEJA TAMBÉM | OP+ Bitcoin eleva emissão de carbono e aumenta o risco do investimento na moeda; entenda

Novos públicos

O resultado indica a continuidade da diversificação do público investidor em Bitcoin. Os pesquisadores destacam que esse deixará de ser um ativo procurado apenas por um grupo de especuladores para se tornar uma opção viável para ampla gama de empresas e investidores do mercado financeiro.

“Até o início de 2020, ninguém diria com segurança que uma criptomoeda poderia ser um ativo para qual os investidores correriam em caso de uma crise financeira”, destaca Diniz. “Isso não quer dizer que o Bitcoin se tornou um investimento sem riscos de uma hora para outra, mas que o mercado de investidores já o considera como um investimento viável e com a liquidez necessária para momentos de grande incerteza”, complementa.