PUBLICIDADE
Economia
Noticia

Camilo Santana defende reforma tributária durante participação no seminário Brazil Conference

Ao falar sobre os índices de desigualdade no Brasil, o governador cearense defendeu a reforma de tributação do patrimônio e renda. Ele debateu ainda sobre reforma administrativa e aperfeiçoamento dos serviços e servidores públicos do Ceará

18:57 | 17/04/2021
Governador Camilo Santana participou do seminário Brazil Conference, organizado pela Universidade de Harvard/MIT, nesta sexta-feira, 16.  (Foto: Reprodução twitter Camilo Santana)
Governador Camilo Santana participou do seminário Brazil Conference, organizado pela Universidade de Harvard/MIT, nesta sexta-feira, 16. (Foto: Reprodução twitter Camilo Santana)

O governador Camilo Santana (PT) participou na sexta-feira, 16, do seminário Brazil Conference, organizado pela Universidade de Harvard/MIT. No evento dedicado à discussão sobre gestão de pessoas no setor público, Camilo falou sobre reforma tributária, reforma administrativa e aperfeiçoamento dos serviços e servidores públicos do Ceará. Na ocasião, o governador defendeu ainda um novo modelo de tributação no Brasil. “A tributação do nosso País é feita em cima do consumo, nós precisamos tributar renda e patrimônio, como muitos países do mundo já fazem”, destacou

Segundo ele, a reforma seria necessária ainda para “reduzir as desigualdades interregionais”. “Há uma concentração de riqueza muito grande em algumas regiões do nosso País, é muito desigual", disse. Para o governador, a necessidade estaria ainda mais evidente em função da pandemia e dos índices recordes de desigualdade do Brasil. “A reforma tributária é um ponto fundamental para a equidade e para a possibilidade de o País investir em setores fundamentais como a educação e a saúde”, argumentou.

LEIA MAIS:

Estados querem uma reforma tributária ampla e que inclua também mudança no ICMS

Congresso fará a reforma tributária 'possível', não a 'ótima', diz Lira

Comissão mista que avalia reforma tributária pode ficar sem relatório final

Servidores e reforma administrativa

No evento, Camilo falou ainda sobre a necessidade de uma reforma administrativa em função do crescimento de funcionários públicos que acumulam alta despesa de gastos com o pessoal. “60% dos gastos dos municípios são de pessoal. Então, quais são os resultados que esses serviços estão trazendo para a população?”, indagou.

“O relatório do Banco Mundial mostrou que houve um aumento de praticamente 48%, nos últimos 10 anos, de gastos com o pessoal no Brasil. E nos últimos 20 anos, houve um aumento de 82% de servidores públicos no País”, argumentou ainda.

O governador citou a gestão do serviço público estadual do Ceará em áreas como a educação, onde a contratação para cargos de diretores e professores se dá por meio de testes, e não mais por indicação política, priorizando, segundo ele, a qualificação e o controle de despesas do serviço público.

O evento de sexta, 16, contou também com a participação da professora Cibele Franzese, da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) e mediação do diretor de projetos na Fundação Lemann. O presidente da Câmara dos Deputados Arthur Lira (PP-AL) estava com participação prevista no evento, mas não compareceu por conta de imprevisto não informado.