Participamos do

Com alta no desemprego e inflação, consumo das famílias brasileiras em 2020 é o menor em 24 anos

Esse representa o pior cenário registrado desde o início do monitoramento em 1996 e está associada à taxas expressivas de desemprego e cenário de incerteza política e econômica
11:27 | Mar. 03, 2021
Autor Alan Magno
Foto do autor
Alan Magno Estagiário de jornalismo
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Como reflexo do índice recorde de desemprego, da incerteza política e econômica agravadas pela pandemia de Covid-19 e da inflação elevada, as famílias brasileiras tiveram uma redução significativa no poder de consumo, com queda de 5,5% em 2020. Esse foi o menor índice registrado em 24 anos.



A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 3, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e representa o pior cenário registrado desde o início do monitoramento em 1996. Após três anos de crescimento anual de 2%, a queda no consumo dos lares brasileiros em 2020 superou os índices negativos registrados em 2017 e 2018, quando os cidadão retraíram os gastos em 3,2% e 3,8% respectivamente.

O resultado é acompanhado pela mais grave retração no Produto Interno Bruto (PIB) brasiliero, que despencou 4,1% em 2020, após três anos de crescimento anual médio de 1%. Frente ao cenário de quedas históricas, no âmbito federal, o consumo por parte do governo também apresentou uma redução significativa de 4,7% após dois anos de elevação.

LEIA MAIS | Fortaleza tem a maior inflação do Brasil em todos os critérios analisados pelo IBGE

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Enquanto o desemprego afeta cerca de 13,4 milhões de brasileiros, estando 5,5 milhões sem qualquer expectativa de se inserir no mercado de trabalho, segundo o IBGE, o saldo de investimentos no país também caiu. A estimativa é de que a Formação Bruta de Capital Fixo teve recuo de 0,8%.

Com relação ao consumo e possibilidades do surgimento de postos de trabalho, o cenário não se apresenta como animador. A pesquisa feita pelo IBGE expressou que a balança de bens e serviços registrou queda de 10% nas importações e 1,8% nas exportações de bens e serviços.

A redução no consumo em 2020 foi acompanhada por baixos valores da renda domiciliar per capita, conforme dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) divulgados na última sexta-feira, 26. No ano passado, de acordo com o levantamento também realizado pelo IBGE, o valor nacional de renda por pessoa chegou ao patamar de R$1.380. Porém, em onze estados do Brasil, a média de renda por pessoa se encontrava abaixo do salário mínimo, como no Ceará, onde a renda média por domicílio em 2020 foi de R$1.028.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags