PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Rede de hotéis Accor tem queda de 34% em 2020 e aposta em tecnologia e fidelização de clientes para garantir faturamento

Dona da franquia de hotéis Ibis, com atuação em Fortaleza, Caucaia e em Juazeiro do Norte, a rede Accor projeta investir ao longo de 2021 em tecnologia e em políticas de fidelização de clientes. A companhia ainda anuncia dois novos hotéis da marca a serem abertos este ano no Ceará

Alan Magno
17:12 | 25/02/2021
Inauguração de um empreendimento em Fortaleza e início de outro no Pecém estão entre os investimentos da rede de hotéis Accor previstos para 2021 (Foto: Reprodução Accor)
Inauguração de um empreendimento em Fortaleza e início de outro no Pecém estão entre os investimentos da rede de hotéis Accor previstos para 2021 (Foto: Reprodução Accor)

A multinacional francesa do ramo de hotelaria, Accor apresentou nesta quarta-feira, 25, o balanço do ano de 2020 e as projeções para este ano. Afetada pela pandemia, a maior fonte de faturamento da rede, a ocupação de quartos nos mais de 3 mil hotéis espalhados pelo mundo, teve uma redução de cerca de 34% com relação a 2019 e fez com que a empresa repensasse sua política de investimentos diante do cenário adverso ao setor.

 

Dona da franquia de hotéis Ibis, com atuação em Fortaleza, Caucaia e em Juazeiro do Norte, a rede Accor projeta investir ao longo de 2021 em tecnologia e em políticas de fidelização de clientes, como vantagens de consumo e descontos em marcas parceiras. Ação faz parte do conjunto de medidas adotadas pela empresa para assegurar o faturamento e tentar reverter o cenário de prejuízos associados a baixa movimentação em razão da pandemia.

“Não vamos mais esperar os eventos retornarem, vamos investir em outros atrativos e em uma gama completamente nova de serviços”, anunciou o CEO do conselho da Accor na América do Sul, Thomas Dubaere. Ele projeta que, em 2021, o fluxo de turismo regional com preferências por rotas econômicas irá se fortalecer, representando boa parte do caixa da empresa ao longo do ano.

Eventos virtuais, transmissões ao vivo feitas por encomendas e atrativos de relaxamento nas dependências dos hotéis integram os pacotes idealizados para o reinício das atividades hoteleiras da companhia. “Outro serviço que está ganhando notoriedade no Brasil são os pedidos de nossos coquetéis e pratos especiais para entrega em domicílio, assim, criamos uma cartela de serviços para nossos clientes associados”, detalha.

Pacotes promocionais para longas estadias ou mesmo em condições especiais para uso das dependências do hotel para trabalhos de home office e realização de reuniões também são medidas adotadas pela rede para tentar alavancar o faturamento mesmo com as medidas de isolamento social adotadas ao redor do mundo. Uma parceria exclusiva com a empresa americana Microsoft deverá impulsionar a infraestrutura tecnológica e de comunicação da rede de hotéis. 

Mesmo com o cenário adverso, a companhia inaugurou 14 hotéis ao longo do ano passado, sendo oito no Brasil, totalizando 320 empreendimentos e 51.736 quartos de hospedagem em território nacional. A projeção é de que os investimentos continuem. No Ceará, dois novos hotéis da companhia deverão ser abertos ainda em 2021.

Questionado pelo O POVO sobre os investimentos em solo cearense, o Abel Castro, vice-presidente sênior de Desenvolvimento da Accor América do Sul, definiu o Estado como centro “importantíssimo de ações” da rede Accor. Segundo ele, Fortaleza e algumas cidades do interior do Estado estão dentro das pesquisas de pontos de investimentos feitas pela companhia.

“Nós temos o projeto de um grande investimento na Capital, em fase final de pipeline (construção) a ser entregue ainda este semestre”, contou. Ele revelou ainda que recentemente foi assinado o contrato com um investidor que tem interesse em viabilizar a construção de uma unidade da Accor na zona portuária do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, e que espera que as obras possam ter início em breve.