Participamos do

Nubank fecha a compra da corretora Easynvest e entra no mundo dos investimentos

Intenção da empresa é simplificar a complexidade do setor de investimentos. Em um primeiro momento, as duas plataformas seguem operando de forma independente
10:08 | Set. 11, 2020
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
Diante do crescimento do número de pessoas físicas no mundo dos investimentos em tempos de juros baixíssimos no Brasil, o Nubank, maior fintech do País, acaba de dar um passo em um mercado de competição cada vez mais acirrada com a aquisição do Easynvest, que possui 1,5 milhão de clientes. O Nubank está bastante capitalizado, visto que acaba de receber um aporte de US$ 400 milhões. Essa é a sua terceira aquisição apenas neste ano.
 
"Nos últimos sete anos, temos desafiado o status quo para criar uma nova geração de serviços na América Latina. Já libertamos 30 milhões de pessoas da complexidade do sistema financeiro por meio de serviços e produtos práticos, convenientes e, principalmente, totalmente focados no cliente. O nosso desejo é fazer isso também no setor de investimentos", afirmou, em nota, o presidente do Nubank, David Vélez.
 
O Nubank informou que, neste momento, nada vai mudar para os clientes das duas plataformas, já que por ora seguirão operando de forma independente. A partir daqui, um grupo de trabalho será formado para planejar os próximos passos de integração dos serviços, o que terá início após as aprovações dos reguladores, o Banco Central e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).
 
A empresa, que conta com 26 milhões de clientes, é a segunda maior emissora de cartão de crédito do Brasil, atrás apenas do maior banco do país, o Itaú Unibanco, segundo análise da empresa financeira UBS.
O fundo de private equity Advent International tinha contratado o JPMorgan no início do ano para a venda da Easynvest. A venda ocorre em um momento bastante agitado neste ano, em que o número de investidores pessoas físicas na Bolsa mais do que dobrou em um ano.
 
Outra fintech, a Neon, que acaba de receber um aporte de R$ 1,6 bilhão, anunciou recentemente a compra da tradicional corretora Magliano.
 
*Fintech é um termo que surgiu da união das palavras "financial" e "technology". É um termo usado para se referir às empresas que querem inovar e otimizar serviços financeiros.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags