PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Feiras de agricultura familiar se adaptam durante a pandemia e inovam com delivery de produtos orgânicos

As iniciativas são promovidas online, como alternativa para produtores que estão suspensos de atuar em feiras presenciais, devido ao decreto de quarentena

Ismia Kariny
13:37 | 28/08/2020
Em setembro, a Feira Cultura da Reforma Agrária completa 4 anos. Desde abril, ela ocorre de forma virtual, devido a pandemia da Covid-19. (Foto: Reprodução/Instagram)
Em setembro, a Feira Cultura da Reforma Agrária completa 4 anos. Desde abril, ela ocorre de forma virtual, devido a pandemia da Covid-19. (Foto: Reprodução/Instagram)

Produtores, fornecedores e feirantes da agricultura familiar adotaram nova logística para venda de produtos, durante a suspensão das feiras presenciais, prevista em decreto de quarentena no Ceará. Em Fortaleza, iniciativas como a Feira do Parque e a Feira Cultura da Reforma Agrária inovam com serviços de delivery para a população da Capital e da Região Metropolitana. O serviço ocorre por meio de divulgação de catálogos de produtos em plataformas online.

Antes da pandemia, a Feira do Parque atendia aos consumidores no Parque César Cals, onde atuavam fornecedores de pelo menos 22 municípios do Ceará. Contudo, desde o decreto de quarentena em todo o Estado, o empreendimento passou a funcionar virtualmente, por meio da plataforma WhatsApp. De acordo com Andersson Bivar, administrador da iniciativa, a ideia é estimular o consumo na população, por meio de ofertas de baixo custo.

Leia também | A cada 9 minutos e 46 segundos nasce um cearense, projeta IBGE 

“Como entramos nessa logística de delivery, cobrimos toda a Capital e regiões metropolitanas. Então, eles [fornecedores] chegam, nos abastecem na terça, e é prestado conta no domingo”, comenta Andersson. “A ideia é não parar. A maioria dos nossos fornecedores abastecem as lojas privadas da Aldeota e o custo chega até a 500%. O nosso custo é baixíssimo no mercado, então a ideia é estimular o consumo”, complementa.

De acordo com o administrador da rede virtual da Feira do Parque, os produtos são frescos, com entrega das 5h às 17h, de terça a domingo. A lista de catálogo é atualizada diariamente, por meio da oferta de agricultores familiares de diversas regiões do Estado. Os clientes poderão receber uma variedade de 21 itens de frutas, hortaliças e tubérculos, geleia de pimenta, sal marinho, açúcar mascavo, pomadas e ervas medicinais, mel, linguiça de cordeiro picante, bisteca suína, pimenta do reino e ovos caipiras.

“A pessoa entra lá no Whatsapp [da Feira do Parque] e é cadastrada em uma lista de transmissão. Diariamente, ela vai sendo informada do que se tem e é atualizada sobre o que acabou na lista”, explica Andersson. Ele acrescenta que o valor do frete é de R$ 10 para regiões mais próximas de Fortaleza, que estejam em até 20 km de distância. E para as regiões metropolitanas e bairros mais distantes, o valor é de R$ 15. O contato é através do número (85) 9.8531-0898.

Feira Cultura da Reforma Agrária promove programação especial para celebrar aniversário

A Feira Cultura da Reforma Agrária, organizada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), também ocorre de forma virtual nestes últimos meses. Antes da pandemia, a Feira costumava ocorrer todo segundo sábado de cada mês no Centro Frei Humberto, localizado no Bairro São João do Tauape. Agora, prestes a completar quatro anos, ela migrou para um endereço eletrônico.

Desde abril, na última semana de cada mês, é liberada a lista de produtos no site, onde as pessoas fazem seus pedidos e recebem por delivery nas suas casas, no segundo sábado de cada mês. Conforme a coordenadora da Feira, Clarice Rodrigues, a logística da feira segue uma programação mensal.

“Como nesse período os pedidos têm aumentado bastante, então estamos fazendo as entregas em três dias, começando no sábado e terminando na segunda”, ela esclarece. As encomendas são entregues em bairros de Fortaleza e da região metropolitana, como Caucaia, Eusébio e Maracanaú. Segundo Clarice, é cobrada uma taxa de entrega que varia de acordo com a região. Caucaia, por exemplo, tem um frete de R$ 15. No entanto, quem preferir também pode retirar seus pedidos no domingo seguinte.

De acordo com Clarice, em setembro a Feira Cultura da Reforma Agrária completa quatro anos de fundação. Para celebrar a data, será realizada programação especial nas redes sociais do Centro de Formação e do MST Ceará, nos próximos dias 12, 13 e 14. “Também teremos o já conhecido almoço da feira, que as pessoas também podem pedir através do site e retirar no domingo. Almoço com o cardápio tradicional da feira desses últimos 4 anos”, detalha.

Confira o tira-dúvidas preparado pela organização, sobre a Feira Cultura da Reforma Agrária

Ações e estratégias de inovação são incentivados por programa de assistência rural

Os agricultores familiares têm recebido, sobretudo neste período de pandemia, assistência técnica e orientações de fortalecimento à inovação, por parte do programa de fomento da secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) do Ceará, junto à Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce). Por meio do projeto, chamado D. Hélder Câmara, mais de 5 mil famílias foram assistidas, com o objetivo de reduzir as desigualdades socioeconômicas entre as comunidades de agricultura familiar.

Segundo o titular da SDA, Francisco de Assis Diniz, durante o isolamento social e a suspensão das atividades em feiras presenciais, as secretarias técnicas vinculadas à pasta estão trabalhando com ações para ampliar suas competências, de forma a atender esses grupos de agricultores. No primeiro momento, foi trabalhado o delivery. “Esses deliveries ampliaram potencializaram a comercialização. Foi fundamental, porque teve um papel de destaque, ao acumular experiência não só no Whatsapp, mas principalmente com um catálogo digitalizados no Facebook e Instagram”, comenta Assis Diniz.

Leia também | Mais de 5 mil famílias de agricultores recebem orientações em programa de assistência rural no Ceará

O segundo momento, conforme o secretário, foi a fundamentação das feiras virtuais, com a assistência técnica das entidades que trabalham junto à Secretaria do Desenvolvimento Agrário. “Organizamos essa feiras na busca de ampliar a capacidade de comercializar produtos da agricultura familiar, e o mais exitoso de todos foi a Feira Virtual de Quixeramobim. Estivemos também em Mombaça, Maranguape, Quixadá”, detalha o secretário. Segundo Assis Diniz, as ações também contemplam feirantes e as feiras de artesanato, que atuavam tradicionalmente em espaços livres nas cidades.

Por meio das secretarias vinculadas, feirantes, produtores e fornecedores receberam acompanhamento técnico e auxiliar na organização de catálogos, ofertas de produto e distribuição de preços. Juntamente com a criação da Ematerce, foi instituído chats de diálogo e assistência técnica virtual, que são canais por onde os agricultores e pecuaristas podem receber orientações. Também dentro deste plano de fomento às iniciativas e assistência rural, foi criado o portal da Agricultura Familiar. Segundo Assis Diniz, esse sistema vai se revestir em uma ferramenta de comercialização.

Neste portal, os produtores da agricultura e pecuária poderão realizar cadastro para receber um selo de institucionalização do seu negócio. Lá, eles poderão divulgar as características da sua produção e a sazonalidade, informando também a quantidade de produtos que têm. Em seguida, receberão um QR Code que servirá como uma forma de rastreio, pelo qual possíveis comerciantes podem contactar os fornecedores.

“O que nós queremos é que esta ferramenta virtual seja capaz de levar aos produtores uma condição de sustentabilidade e ampliação. No momento em que nós criamos o portal, fizemos o cadastro, implantamos o selo, e colocamos a rastreabilidade, nós vamos dar um passo para que o agricultor familiar esteja em plena condições de comercializar seus produtos”, finaliza o secretário da SDA, Francisco de Assis Diniz.