PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Pandemia faz 103 mil vendas de carros feitas em junho serem emplacadas em julho, diz Anfavea

O mercado emplacou 132,8 mil unidades, alta de 113,6% em junho ante maio, mas queda de 40,5% na comparação com maio. No acumulado do ano, o recuo é de 38,2%, para 809 mil unidades

12:30 | 06/07/2020
FORTALEZA, CE, BRASIL, 03.07.2020: Movimentação de carros na Av. Washington Soares (Foto: Fabio Lima)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 03.07.2020: Movimentação de carros na Av. Washington Soares (Foto: Fabio Lima)
Pelo menos 103 mil veículos vendidos em junho só devem ser emplacados em julho, em razão de atrasos burocráticos decorrentes da pandemia do novo coronavírus, informou nesta segunda-feira, 6, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Além disso, foram emplacadas em junho cerca de 30 mil unidades vendidas em abril e maio.
Nesta segunda, a Anfavea divulgou os dados do mercado de junho. Os números confirmam os divulgados na quinta-feira passada pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). O mercado emplacou 132,8 mil unidades, alta de 113,6% em junho ante maio, mas queda de 40,5% na comparação com maio. No acumulado do ano, o recuo é de 38,2%, para 809 mil unidades.
A Anfavea informou que os estoques de veículos nos pátios das montadoras e das concessionárias terminaram junho com 157,6 mil unidades, abaixo das 200,1 mil registradas no fim de maio. Ao considerar o ritmo do mercado em junho, o estoque é suficiente para 36 dias de venda. Um mês antes, dava para 45 dias.
Contudo, o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes, afirmou que não haveria essa queda no número de dias se a conta fosse feita com os emplacamentos que foram represados em razão dos atrasos burocráticos. Segundo ele, ao considerar esse represamento, os estoques seriam suficientes para 46 dias.