PUBLICIDADE
Economia
Noticia

Ainda sem impactos do coronavírus, setor cearense de Serviços recua 1,5% em fevereiro

Mesmo com o resultado, atividade fechou o primeiro bimestre deste ano com leve crescimento

15:11 | 08/04/2020

Mesmo sem os impactos do novo coronavírus (Covid-19), que na ocasião ainda não havia chegado ao Ceará, o setor de Serviços fechou o mês de fevereiro com recuo de 1,5% no Estado, informou nesta quarta-feira, 8, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Conforme o levantamento, apesar do resultado ruim, a atividade apresentou um leve avanço, de 0,4%, no primeiro bimestre, algo que dificilmente acontecerá nos próximos meses, tendo em vista a paralisação da atividade econômica desencadeada pela pandemia.

Na comparação com fevereiro de 2019, o desempenho do setor de Serviços também recuou 0,8%, impulsionado pelo fraco desempenho de três das cinco atividades investigadas pelo IBGE, com destaque para os recuos vindos de serviços profissionais, administrativos e complementares (-6,2%), de informação e comunicação (-2,7%) e o de serviços prestados às famílias (-0,7%).

No mesmo período, porém, as atividades de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio cresceu 2,6%, assim como a categoria "outros serviços", com alta de 11,8%, o terceiro maior avanço do País, atrás apenas de Rio de Janeiro (17,3%) e São Paulo (11,9%).

Turismo também em queda

Ainda de acordo do IBGE, o Ceará também registrou um recuo significativo no índice de atividades turísticas de fevereiro, que caiu 2,4% frente ao mês imediatamente anterior. Trata-se do menor resultado desde junho de 2019, quando a retração foi de 2,6%. Entre as doze unidades da federação acompanhadas pela pesquisa, o Ceará é o segundo com índice mais baixo, atrás apenas de Paraná (-4,9%).