PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Indicador de preços de alimentos da Ceagesp cai 4,29% em agosto

23:08 | 09/09/2019
O índice de preços da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) registrou forte queda de 4,29% em agosto em comparação com o mês anterior. Todos os setores apresentaram redução dos preços em virtude da boa oferta e demanda retraída. Conforme a companhia, caso não ocorram geadas intensas nas regiões produtoras, os preços deverão continuar em baixa nos próximos meses, contribuindo para a manutenção dos índices inflacionários em níveis satisfatórios.
Em agosto, as cotações dos produtos no setor de frutas caiu 1,61%. As principais quedas foram nos preços do mamão papaia (-30,1%), da ameixa estrangeira (-25,7%), do melão amarelo (-19,2%), do mamão formosa (-15,5%), e do maracujá azedo (-14,4%). As principais altas ocorreram com a atemoia (29,6%), a acerola (23,5%), a banana nanica (22,7%), o maracujá doce (22%) e a manga palmer (12,7%).
O setor de legumes registrou queda de 10,77% nos preços. As principais reduções ocorreram com o pimentão amarelo (-52,6%), o tomate achatado (-40,3%), o tomate italiano (-35%), a abobrinha italiana (-29,5%) e a cenoura (-24,1%). As principais altas foram registradas no jiló (27,1%), no chuchu (23,8%), na vagem macarrão (22,5%), na pimenta Cambuci (11,9%) e na berinjela (7,8%).
O setor de verduras recuou 13,83%. As principais quedas foram do coentro (-49%), da couve (-27,2%), d alho poró (-24,7%), do espinafre (-24,4%) e da alface lisa (-24%). Não houve elevações significativas no setor de verduras.
O setor de diversos caiu 5,90%. As principais baixas ficaram por conta do amendoim (-19,7%), da batata Asterix (-14,1%), do alho chinês (-12,1%), da batata lavada (-8,4%) e alho nacional (-6,3%). Não houve elevações significativas no setor de diversos.
O setor de pescados recuou 2,60%. As principais quedas foram da sardinha (-31,7%), da abrótea (-19,6%), da pescada (-16,2%), da lula (-15,7%) e da corvina (-12,5%). As principais altas foram do camarão ferro (14,3%), do polvo (5,5%), da anchova (4,5%) e do robalo (4,1%).
No período de janeiro a agosto de 2019 foram comercializadas no entreposto de São Paulo cerca de 2.103.079 toneladas ante 2.001.882 negociadas no mesmo período de 2018. Elevação de 5,06% ou 101.197 toneladas.