PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Bolsonaro: 'Crescimento da economia de 0,4% é muito bem-vindo'

22:40 | 09/09/2019
O presidente Jair Bolsonaro comemorou o crescimento de 0,4% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre do ano em sua Live semanal. Segundo Bolsonaro, o crescimento, divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é "muito bem-vindo".
Ele e o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, que também participou da transmissão, lembraram que algumas projeções apontavam para um porcentual menor de expansão para o PIB do trimestre encerrado em junho. Heleno, por sua vez, destacou que "essa taxa de crescimento cortou a ideia de que estávamos a caminho da recessão".
"Não sei o que será desse trimestre que já começou, mas o 0,4% é muito bem-vindo", ressaltou o presidente mais de uma vez na transmissão semanal.
Ainda sobre o crescimento da economia, Heleno disse que as pessoas precisam entender que, acima de "interesses pessoais, das vontades de cada um e de conchavos existe um País que tem tudo para ser grande". "A gente não se convence de que se precisa colocar interesse nacionais acima dos interesses pessoais", disse.
O ministro destacou que é preciso que se consiga que a população pense desta maneira, os políticos pensem desta maneira e o poder judiciário encare isso como desafio para modernizar o País. "Se não tivermos essa consciência, levaremos muito mais tempo para chegarmos no lugar onde podemos chegar em pouco tempo."
Heleno ainda disse que a recuperação do Brasil será mais rápida do que ele imagina. "Não dá para frear o desenvolvimento do Brasil. Tentaram, tentaram, tentaram e o Brasil sai do buraco e mostra o seu potencial", destacou.
O presidente Bolsonaro aproveitou para falar dos cortes de gastos que foram promovidos no segundo trimestre, dizendo que esses gastos foram menores do que nos primeiros três meses do ano. "Estamos fechando os gargalos. Os gastos públicos diminuíram sobre o primeiro trimestre, estamos fazendo tudo para que não haja desvios", afirmou.
TAGS