PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Quem paga a conta? explica como funcionam as regras de transição da Reforma da Previdência

O episódio desta semana do Quem paga a conta?, canal de economia do IG TV do O Povo Online, explica as regras de transição para quem já está no mercado de trabalho.

20:44 | 13/08/2019

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado tem até o dia 8 de setembro para analisar o projeto de Reforma da Previdência. A proposta, já aprovada na Câmara dos Deputados, altera diversos pontos da legislação atual, dentre estes, a criação de uma idade mínima, a limitação do valor dos benefícios e torna as alíquotas mais progressivas. O episódio desta semana do Quem paga a conta?, canal de economia do IG TV do O Povo Online, explica as regras de transição para quem já está no mercado de trabalho.

Hoje, além da aposentadoria por tempo de contribuição, existe o sistema de pontos conhecido como Regra 86/96. Para se aposentar por esta modalidade, a soma do tempo de contribuição com a idade do segurado deve alcançar o mínimo de 86 pontos para mulheres e 96 pontos para homens.

Com a reforma, acaba a possibilidade de aposentadoria por tempo de contribuição. E, para receber aposentadoria integral, seriam necessários 40 anos de contribuição. Mas quem já está no mercado de trabalho pode escolher entre cinco opções de transição para o modelo com regras mais flexíveis.

O programa Quem paga a Conta? desta semana, apresentado pela jornalista Irna Cavalcante, vai explicar como elas funcionam, como o trabalhador pode fazer este cálculo e porque é preciso começar a pensar em um plano B para Previdência.

Para ser aprovada, a Reforma da Previdência precisa ser aprovada ainda no plenário do Senado, em dois turnos, por pelo menos 47 dos 81 senadores. Se a proposta sofrer qualquer tipo de alteração, terá de voltar para reexame da Câmara dos Deputados. Se o texto for mantido, segue para promulgação.

Assista ao episódio:

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

Onde é que eu me encaixo nessa previdência? Nesse episódio vamos falar das regras de transição.

Uma publicação compartilhada por O POVO Online (@opovoonline) em