PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Governo avalia como liberar saque do FGTS sem comprometer construção civil, diz ministro do Desenvolvimento

A fala do ministro aconteceu após reclamações do setor, que utiliza os recursos do FGTS para financiar programas de habitação, obras de saneamento e infraestrutura

15:27 | 19/07/2019
Gustavo Henrique Canuto, ministro do Desenvolvimento Regional
Gustavo Henrique Canuto, ministro do Desenvolvimento Regional(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Durante solenidade no Fórum Banco do Nordeste de Desenvolvimento, em Fortaleza, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Henrique, comentou a liberação do saque das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Segundo ele, ainda há discussão sobre quais os possíveis impactos dessa liberação no setor da construção civil. "O Ministério da Economia está avaliando isso", disse.

Representantes do setor criticam a liberação do saque, já que os recursos do FGTS são hoje usados para financiar programas de habitação, como o Minha Casa Minha Vida, além de obras de saneamento e infraestrutura, com juros menores do que o mercado. O presidente Jair Bolsonaro confirmou ter conversado com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), e com dois empresários da construção civil sobre tais críticas.

"As divisões são administrativas. A discussão existe, sim; quais são os possíveis impactos com a construção civil. O Ministério da Economia está avaliando isso, ponderando o que pode ser feito ao mesmo tempo para retomar a economia, mas sem comprometer a construção civil, o programa de habitação e interesse social", afirmou Gustavo Henrique.

Conforme o ministro, "são várias bandeiras, vários objetivos a serem traçados, mas em parceria".

Bolsonaro comentou encontro com os empresários e suas solicitações, classificando-as como natural. "Cada um luta pelo seu espaço", disse o presidente. Sem explicar exatamente ao que se referia, ele disse que "está mantido o mesmo porcentual". "Os empresários tiveram lá fora com a equipe econômica, que eu convidei para vir ao Palácio e saíram satisfeitos. E vai ser mantido o programa do FGTS", disse.

Com informações da repórter Bruna Damasceno

Redação O POVO Online