PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

"Bolsonaro está olhando para o Nordeste", diz presidente do BNB

Governo Federal anunciou R$ 4 bilhões para o BNB aplicar no Nordeste. Presidente visitou um Estado nordestino pela primeira vez após a posse

19:02 | 24/05/2019

O Governo Federal confirmou repasse complementar para o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), que está sob o comandado do Banco do Nordeste do Brasil (BNB). No valor de R$ 4 bilhões, o montante servirá para investimentos na infraestrutura e no financiamento de microcrédito na região. O gesto foi comemorado pelo presidente do BNB, Romildo Rolim, que esteve nesta sexta-feira, 24, em reunião em Recife (PE) com o presidente Jair Bolsonaro (PSL) e governadores nordestinos.

Pela primeira vez no Nordeste desde quando foi eleito, Bolsonaro busca cooptar apoio dos governadores nordestinos. Para Romildo Rolim, o gesto desta sexta seria uma ação “de quem pretende cuidar da região”. “Bolsonaro está de fato olhando para o Nordeste. Acredito que o Governo está trabalhando para fortalecer as instituições daqui”, pontuou em entrevista ao O POVO online.

Na manhã, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, anunciou a verba adicional durante reunião do Conselho Deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), ocorrida em Recife. Com isso, o BNB contará com cerca R$ 27,7 bilhões a serem investidos no Nordeste e no norte de Minas Gerais e do Espírito Santo. Canuto destacou que os recursos são fruto de reembolsos de financiamentos do banco.

Dos R$ 4 bilhões acrescidos, R$ 1 bilhão será aplicado em nova linha de crédito do BNB: a FNE Crediamigo. A operação deve oferecer juros mais baixos do que os praticados no mercado, com limite de até R$ 21 mil, utilizando capital do fundo constitucional.

Para Romildo Rolim, a ação ajudará a movimentar e a desenvolver a economia regional. “Vemos hoje um número alto de desempregados, mas eles não estão em casa se balançando na rede. Eles têm atividades para a própria sustentação e precisam de crédito para prosperar”, declarou. “O BNB vem para ajudar essas pessoas que estão no mercado informal a se estabilizar”, complementou.

No evento, ele apresentou os resultados do FNE durante 2018, mostrando que o banco cumpriu toda a programação orçamentária prevista ao distribuir aplicações no agronegócio, comércio, indústria, serviços e infraestrutura.

Ceará em 2018

O BNB encerrou 2018 com a contratação de 74,6 mil operações de crédito com recursos do FNE, totalizando R$ 3,9 bilhões aplicados no Ceará. Projetos de infraestrutura tiveram o direcionamento de R$ 1,7 bilhão; enquanto que empresas de grande porte receberam R$ 713 milhões para investimento; e para as micro e pequenas empresas foram destinados R$ 486,1 milhões. Por meio do Agroamigo, agricultores familiares contrataram R$ 309,9 milhões em crédito.

Futuro do BNB

Passadas polêmicas e incertezas sobre o futuro do Banco do Nordeste, a instituição recebeu a confirmação de que não faz parte do Plano Nacional de Desestatização, elaborado pelo Palácio do Planalto. Ministro da Economia, Paulo Guedes garantiu em maio, por meio de ofício, que a gestão do BNB “continua sendo estatal”.

Questionado a respeito das especulações sobre possível privatização ou mesmo fusão do BNB com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Romildo Rolim foi enfático. “Nunca ouviram nenhuma fala minha em relação a essa polêmica. O que estamos fazendo desde o ano passado é deixar o banco eficiente, dentro das normas, com responsabilidade e ética, mostrando a estabilidade da estatal para o Governo”, evidenciou.

Wanderson Trindade