PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

Crise na Avianca beneficia outras companhias aéreas

Desde o início da onda de cancelamentos de voos e, consequentemente, da insegurança do consumidor perante a marca, as empresas do ramo viram um crescimento considerável em sua demanda

18:09 | 23/04/2019
Empresas aéreas se beneficiam com crise da Avianca.
Empresas aéreas se beneficiam com crise da Avianca.(Foto: Divulgação)

A crise na Avianca Brasil, que entrou em processo de recuperação judicial em dezembro do ano passado, tem contribuído positivamente nas operações de outras companhias aéreas que atuam no País. Desde o início da onda de cancelamentos de voos e, consequentemente, da insegurança do consumidor perante a marca, as empresas do ramo viram um crescimento considerável em sua demanda.

Aumento dos preços das passagens, por exemplo, foi uma das formas encontradas por essas companhias para lucrar em cima da crise. Segundo o economista Alcântara Macedo, a partir do momento em que a Avianca perdeu a capacidade competitiva no mercado, as outras empresas passaram a "preencher o vácuo deixado por ela".

Com isso, segue a incógnita de qual marca se beneficiaria com a instabilidade da empresa. Entre as apostas, está a Azul Linhas Aéreas, que, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), teve um crescimento de 20,1% em sua demanda no mês de março, quando a Avianca ainda operava todos os seus voos nacionais e internacionais.

Ainda de acordo com Alcântara, um dos problemas enfrentados é a pouca opção de linhas no País. Para ele, uma das alternativas para driblar essa situação seria a legislação brasileira permitir que as companhias aéreas internacionais passem a ter mais propriedade no País, já que "o Brasil é um dos principais mercados para expansão deste tipo de negócio" e essa restrição, que permite apenas 30% de operações de empresas de fora no país, só "restringe o aumento do lucro".

Lia Bruno