PUBLICIDADE
Economia
NOTÍCIA

CCJ aprova requerimento para inverter pauta e acelerar leitura de relatório

16:43 | 09/04/2019
Apesar da obstrução da oposição, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, aprovou requerimento para inverter a pauta e antecipar a leitura do relatório da reforma da Previdência. O placar mostrou 14 partidos aprovando o requerimento.
Com a aprovação do requerimento, a relatório da proposta de reforma deveria começar a ser lido, mas a oposição ainda tenta obstruir o seu início. O requerimento foi apresentado pelo deputado Coronel Armando (PSL-SC) e foi aprovado por 39 votos favoráveis, três contrários e 13 obstruções.
O início da leitura do relatório pode diminuir a tensão inicial com os discursos acalorados da bancada da oposição. Os deputados oposicionistas tentaram barrar a votação do requerimento e depois entraram em obstrução.
Eles reclamam que os deputados da base e o presidente da CCJ, Felipe Francischini (PSL-PR), tentam levar a votação da reforma "a toque de caixa".
A deputada Maria do Rosário (PT-RS) fez um dos discursos mais inflamados contra a reforma, recheado de ataques ao presidente Jair Bolsonaro e defesa da democracia. "Ele me deve danos morais", disse. Maria do Rosário chamou Bolsonaro de fraude eleitoral "sem palavra, sem ética e sem moral". " Nunca falou favorável à reforma da Previdência", disse.
Ela aproveitou para criticar a forma diferenciada de tratamento dos militares na proposta de reforma do governo e em detrimento dos mais pobres, como as empregadas domésticas e os trabalhadores rurais.
O deputado Pompeo de Mattos (PDT-RS) chegou a contestar na audiência os números do governo que mostram que os gastos com a Previdência chegam a 56% das despesas.

Agência Estado