PUBLICIDADE
Economia

Francischini garantiu que nesta semana será escolhido relator da CCJ, diz Marinho

13:48 | 28/03/2019
O relator da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara deve ser escolhido ainda esta semana, informou nesta segunda-feira, 25, o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. Ele disse que conversou com o presidente do colegiado, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), que "garantiu" que nesta semana fará a escolha do nome para o posto.
Como mostrou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), em meio aos atritos do governo com o Congresso, integrantes do centrão vinham rejeitando a relatoria da proposta e pressionam Francischini para que indique um nome do próprio PSL para a relatoria.
Marinho participou de evento promovido pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP). Ao contrário do discurso do ministro da Economia, Paulo Guedes, a fala de Marinho não foi transmitida à imprensa.
Postura de Bolsonaro
O secretário especial de Previdência e Trabalho disse também que não há motivos para duvidar da convicção do presidente Jair Bolsonaro sobre a necessidade de aprovação da reforma da Previdência. "O presidente tem usado os canais que considera eficientes para reforçar sua convicção sobre a reforma", comentou.
Ao fim do discurso, Marinho conversou com jornalistas e disse que o governo está disposto a fazer todos os esclarecimentos sobre a reforma ao Congresso Nacional, tanto que Guedes vai comparecer às reuniões para as quais foi convidado nesta semana, na Câmara e no Senado.
A articulação política, segundo Marinho, cabe ao ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que "está fazendo" esse trabalho com a ajuda de lideranças políticas no Congresso e do próprio ministro Paulo Guedes. Segundo ele, o presidente também está envolvido nesse processo.
Marinho disse ainda que tem conversado com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e que a escolha de um relator com afinidade com o tema da reforma seria o melhor dos cenários para o governo.

Agência Estado