PUBLICIDADE
Economia

FNP cobra participação mais ativa de Bolsonaro na articulação da reforma

13:48 | 28/03/2019
O presidente da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), Jonas Donizette, defendeu nesta segunda-feira, 25, uma participação mais ativa do presidente Jair Bolsonaro na articulação pela reforma da Previdência. Ele alertou que, sem o governo em campo, o alcance do trabalho de convencimento dos prefeitos junto aos deputados fica limitado. "Tem uma frase que diz 'me ajuda a te ajudar'", afirmou.
"Não basta a ajuda dos prefeitos, o governo precisa ter articulação com o Congresso", avisou Donizette em entrevista a jornalistas. "Agora é momento de o presidente entrar em cena e mostrar que quer aprovar a reforma", acrescentou.
Para o presidente da FNP, Bolsonaro pode adotar determinado comportamento e manifestar opiniões, mas "não tem direito de não interagir com o Congresso". "Na minha opinião, o próprio articulador da reforma precisa ser Jair Bolsonaro", avisou.
Mais cedo, na plenária dos prefeitos com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes, Donizette já havia manifestado preocupação com os atritos entre o governo e o Congresso e como isso afeta as chances de aprovação da reforma da Previdência.
"Só esse atrito já causou impacto na Bolsa, imagina se não aprovar", comentou depois, a jornalistas.
Donizette defendeu o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a quem chamou de "pessoa equilibrada" e "vítima de comentários que não ajudam em nada".
O presidente da FNP disse ainda que as redes sociais se mostraram efetivas na campanha eleitoral, mas que esse momento "já passou". "Não tem problema o presidente tuitar, mas não pode ficar só nisso", avisou.

Agência Estado