PUBLICIDADE
Economia

Assessores do governo da Alemanha cortam projeção de crescimento pela metade

09:47 | 19/03/2019
Um grupo dos principais assessores do governo da Alemanha cortou hoje sua projeção de crescimento do país neste ano pela metade, mas descartou a possibilidade de recessão graças à robusta demanda doméstica.
"O período de forte expansão da economia alemã está encerrado, por enquanto", comentou Christoph Schmidt, presidente do Conselho Alemão de Especialistas Econômicos.
O grupo reduziu sua previsão de avanço do Produto Interno Bruto (PIB) da Alemanha em 2019 de 1,6% para 0,8%, considerando-se efeitos de calendário.
Em 2020, a projeção de crescimento da maior economia da Europa é de 1,3%.
"Os riscos para o crescimento econômico futuro são atualmente muito altos", avaliou a entidade, citando as caóticas negociações do Brexit - como é conhecido o processo para que o Reino Unido se retire da União Europeia -, disputas comerciais globais e preocupações com a saúde da economia chinesa.
O conselho também criticou o Banco Central Europeu (BCE) por não ter iniciado a retirada de medidas de estímulos extraordinárias numa fase anterior do ciclo econômico.
"Nos últimos dois anos, o BCE poderia ter reagido ao crescimento econômico maior...com um aperto cauteloso da política monetária, sem comprometer a recuperação", disseram os especialistas, com o argumento de que a iniciativa daria ao BCE mais espaço em momentos turbulentos.
Há quase duas semanas, o BCE anunciou uma série de novas medidas de estímulo numa tentativa de impulsionar a inflação, que continua persistentemente baixa, menos de três meses depois de encerrar um grande programa anterior de incentivos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Agência Estado