PUBLICIDADE
Notícias

Prévia do PIB do BC vê alta de 1,15% em 2018 e frustra mercado

19:07 | 15/02/2019
Ainda não foi em 2018 que a economia brasileira ganhou tração. O Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br), divulgado nesta sexta-feira, 15, mostrou crescimento de apenas 1,15% no ano passado, após a alta de 0,93% em 2017. Para economistas do mercado financeiro, o resultado mostrou que a recuperação da economia segue lenta, inclusive neste início de 2019.
Considerado uma espécie de "prévia do BC para o PIB", o IBC-Br serve como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. Em 2017, o indicador já havia avançado, após período de recessão. Em 2018, havia uma expectativa inicial de aceleração da atividade, mas fatores como a greve dos caminhoneiros, no meio do ano, e as eleições de outubro prejudicaram a recuperação. O PIB - que é a medida oficial de crescimento no Brasil - é calculado pelo IBGE. O dado fechado de 2018 será divulgado apenas em 28 de fevereiro.
Os dados mostraram uma lentidão na recuperação da economia que pode afetar o ritmo de retomada em 2019, avalia o economista Artur Manoel Passos, do Itaú Unibanco. O banco revisou na semana passada a projeção para o PIB de 2019, de 2,5% para 2%, considerando o fraco desempenho da atividade em 2018. A estimativa do Itaú para o crescimento do PIB de 2018 caiu de 1,3% para 1,1%.
Segundo o Itaú, a aprovação da reforma da Previdência garantiria um expansão mais rápida da economia brasileira neste ano.
"A economia não engatou uma aceleração no quarto trimestre e não vai começar 2019 forte", afirmou Thiago Xavier, da Tendências Consultoria. Segundo o economista, a projeção atual de 2% do PIB para 2019 é condizente com uma reforma da Previdência que possibilite economia de R$ 640 bilhões em 10 anos. (COLABORARAM CAIO RINALDI, THAÍS BARCELLOS e FRANCISCO CARLOS DE ASSIS)

Agência Estado

TAGS