PUBLICIDADE
Notícias

Nos EUA, McDonald's lucra com comércio legal de maconha

22:20 | 05/10/2017
NULL
NULL

[FOTO1]

As redes de fast food estão lucrando nos estados dos Estados Unidos onde o comércio da maconha é legalizado. O portal de notícias financeiras Green Markert Report e a consultoria Consumer Research About Cannabis mostra que 43% dos entrevistados que admitiram fumar maconha tiveram o Mc Donald's como a primeira opção para comer nas últimas quatro semanas. As informações são da BBC Brasil.

A pesquisa entrevistou 27 mil pessoas em 25 Estados americanos. A estimativa é de que 4,7 milhões de usuários, número equivalente a 8,5% da população americana, façam consumo de maconha de forma legal nos Estados Unidos.

O vice-presidente da Consumer Research About Cannabis, Jeffrey Stein, questionado sobre a preferência das pessoas pelo McDonald's, afirmou que não se trata da qualidade dos alimentos da empresa, mas do número de lojas espalhadas pelo país, sobretudo nos locais onde a maconha é legal, tanto para uso recreativo como para medicinal.

A pesquisa realizada é parte de uma série chamada "Cannabis Freakonomics", que traz diferentes dados coletados pela Consumer Research Around Cannabis, especialista em dados referentes à erva.

Conforme a pesquisa revela, os restaurantes preferidos pelos usuários de maconha são os que entregram comida barata e serviço rápido. Stein disse que, caso as empresas soubessem analisar os interesses, haveria espaço para disputa nesse mercado gastronômico.

A cofundadora e diretora executiva do Green Market Report, Debra Borchardt, diz que empresas como a Taco Bell, inspiradas na culinária mexicana, poderiam captar esse público. Para ela, essas redes estão relutantes em voltarem seu foco para este segmento. No entanto, ela deseja que essas restrições diminuam ao passo que o mercado continue a amadurecer. Debra pensa que se a maconha for legalizada em todo o país, outras redes irão se dirigir a estes consumidores.

Nos Estados Unidos, sete estados já tornaram legal o consumo recreativo de maconha para adultos. Outros 32 aprovaram o uso medicinal da erva.

Redação O POVO Online

TAGS