PUBLICIDADE
Notícias

Chanceler Airton Queiroz deixa legado na educação, arte e cultura

13:32 | 03/07/2017

Um homem de visão empresarial, que via na educação a ponte necessária para o desenvolvimento do Estado e um entusiasta da arte e da cultura. Esta é a lembrança que fica do presidente da Fundação Edson Queiroz, mantenedora da Universidade de Fortaleza (Unifor) e um dos sócios do Grupo Edson Queiroz, o chanceler Airton Queiroz, 70, que faleceu na madrugada desta segunda-feira, 3, no Hospital Mont Klinikum, onde estava internado há mais de 90 dias, em São Paulo.

[SAIBAMAIS]

Ainda não há informações sobre velório e enterro do empresário. Airton, ao lado da mãe, Yolanda Queiroz, teve papel fundamental na trajetória do Grupo Edson Queiroz, um dos maiores conglomerados empresariais do Brasil.

 

Também tinha uma vida dedicada à história da arte. Era um dos maiores colecionadores da América Latina e seu acervo passava por quinhentos anos de história, do século 17 ao século 21. No ano passado, organizou a Coleção Airton Queiroz, no Espaço Cultural Unifor, que reunia 254 obras de 109 artistas, como Portinari, Di Cavalcanti, Volpi, Anita Malfatti, Antonio Bandeira, Sérvulo Esmeraldo e Leonílson, além de artistas internacionais como Monet, Renoir, Miró e Dalí.

 

Era também benemérito da Academia Cearense de Letras. Em fevereiro deste ano, foi homenageado durante a solenidade pelos 120 anos da instituição. “A educação e a arte foram as grandes paixões de Airton. Ele trouxe um novo olhar para o plano geral da educação, que entendia que não era só ensino, era a formação, a profissionalização e a Unifor nasceu sobre este olhar de quem acreditava que precisava impulsionar o estado do Ceará através da educação”, afirmou o presidente da Academia Cearense de Letras, Ubiratan Aguiar.

 

O reitor da Universidade Federal do Ceará (UFC), Henry de Holanda Campos, afirmou que essa perda assume grande dimensão quando se avalia não apenas a atuação de Airton como empresário de sucesso, mas também quando se observa o que ele representou, para o Ceará, nos cenários da Educação Superior, da Cultura e das Artes.

 

“A Unifor, grande legado que recebeu de seu pai, Edson Queiroz, agigantou-se em suas mãos e atingiu invejável nível de qualidade. Não foram poucas as ocasiões, ao longo de décadas, em que Unifor e UFC estabeleceram colaboração mutuamente benéfica, objetivando a concretização de projetos em diferentes áreas do conhecimento. Noutra vertente, a Unifor sobressai pela amplitude de sua ação social, mais uma expressão da sensibilidade do Chanceler Airton”, ressaltou Henry Campos.

 

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado (Fecomércio), Luiz Gastão Bittencourt, também lamentou a perda. “O chanceler teve um papel preponderante na formação de milhares de cearenses e na própria concepção da formação profissional de todo Estado. Como empresário, também sempre foi uma pessoa muito ativa, que ao lado da mãe, Yolanda, ajudou a conduzir a expansão do grupo”.

 

TAGS