PUBLICIDADE
Notícias

Monsenhor Tabosa deve passar por nova revitalização

Projeto foi anunciado pela Secretaria de Turismo de Fortaleza. Entre as medidas, estão incentivos fiscais e parcerias com o setor privado

11:01 | 12/04/2017

A avenida Monsenhor Tabosa deve ser incluída no projeto de revitalização da Praia de Iracema, conforme divulgado pela Secretaria de Turismo de Fortaleza (Setfor).


No projeto, estão incentivos fiscais para atração de empresas, programação cultural, parcerias público-privadas para investimentos e a criação de uma Zona de Interesse Turístico.

 

“O plano prevê estender todos os benefícios para o corredor turístico, incentivando novos negócios no local. Em parceria com o Sebrae também iremos capacitar os vendedores. A ideia é movimentar o espaço, alavancar as vendas, trazer novos investidores e até mesmo transformar a avenida em um polo de lazer, com uma programação cultural”, explica Alexandre Pereira, titular da Setfor.

 

A Monsenhor Tabosa passou por requalificação em 2014, com investimento de R$ 5,9 milhões da Prefeitura de Fortaleza em parceria com o Ministério do Turismo. Entre as intervenções, estiveram obras de drenagem, pavimentação, iluminação, troca do piso, construção de caramanchões e rampas de acesso para cadeirantes.

 

Lojistas 

Segundo Márcia Sergio, presidente da Associação dos Lojistas da Monsenhor Tabosa (Almont), o projeto de revitalização é fruto de um intenso diálogo da entidade com a Prefeitura de Fortaleza. Ela ressalta que a Almont já vinha cobrando uma valorização maior do espaço, considerado uma das principais zonas de turismo da capital cearense. 

 

Márcia afirma que, após concluída a revitalização, há um projeto de abrir bares e restaurantes ao longo da avenida, além de estender o horário de funcionamento  das lojas, que atualmente ficam abertas das 9h às 19h, até as 21h. 

 

Ainda de acordo com ela, hoje o local possui 232 lojas em funcionamento, número que poderia ser 15% maior se não fossem os estabelecimentos fechados. 

 

A presidente afirma que uma das grandes dificuldades enfrentadas pelos lojistas é o valor do aluguel. "Alguns proprietários dos imóveis da Monsenhor Tabosa cobram aluguéis exorbitantes, acima de R$ 5.000, já teve gente cobrando R$ 20.000 em um aluguel. Isso não condiz com realidade econômica num quadro de crise, nem com o mercado".

 

Ela destacou ainda que a associação está atuando com empresários que fecharam suas lojas para ajudar na negociação de dívidas e reabertura de suas empresas. "Estamos tentando negociar com os proprietários dos imóveis, com os donos de lojas com intuito de que essas lojas voltem a funcionar aqui. De toda forma, após esse processo de revitalização, esse espaço vai ser mais valorizado e a concorrência para abrir uma loja aqui será grande", pontuou Márcia.

 

 

 

Redação O POVO Online

TAGS