PUBLICIDADE
Notícias

Obras da Ferrovia Transnordestina retornará com investimentos de R$ 430 milhões

O planejamento prevê 1.728 quilômetros interligando os estados do Piauí, Ceará e Pernambuco.

14:35 | 14/12/2016
Serão investidos cerca de R$ 430 milhões para o retorno imediato das obras da Ferrovia Transnordestina. O repasse do governo federal pretende atender ao planejamento que prevê 1.728 quilômetros interligando os estados do Piauí, Ceará e Pernambuco.
 
Do total da verba, R$ 300 milhões são do Fundo de Investimentos do Nordeste (Finor), administrado pelo Ministério da Integração Nacional. Outros R$ 130 milhões são da Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A., órgão ligado ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.
 
De acordo com o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, a primeira parte do valor a ser liberada pelo Finor será de R$ 152,7 milhões e permitirá a continuidade das obras. Outros R$ 150 milhões estão condicionados à comprovação da execução dos serviços ao longo de 2017. Já o montante de R$ 130 milhões da Valec também estão previstos para investimentos no ano que vem.
 
Helder Barbalho assinou, nesta terça-feira, 13, em Brasília, o documento que autoriza a liberação da primeira parte dos recursos por meio do Banco do Nordeste do Brasil (BNB).
 
A concessionária Transnordestina Logística S.A (TLSA), responsável pelas obras da ferrovia, também se comprometeu a apresentar, em até 50 dias, um plano de trabalho com informações sobre a aplicação dos recursos e as metas para dar mais impulso à execução dos serviços em 2017.
 
Balanço
 
A Transnordestina já recebeu cerca de R$ 6,3 bilhões, dos quais cerca de R$ 3,4 bilhões são referentes a financiamentos federais. Os recursos dos Fundos de Investimentos do Nordeste e da Amazônia (Finam) são oriundos de parcela do Imposto de Renda de empresas que optam por deduzir em favor desses instrumentos, como forma de incentivo para aplicação em projetos considerados prioritários ao desenvolvimento socioeconômico das duas regiões.
 
Redação O POVO Online 
TAGS