PUBLICIDADE
Notícias

Serviços do e-Sedex serão encerrados em 2017

A empresa estatal Correios informou que irá encerrar as atividades dos serviços e-Sedex a partir do mês de janeiro de 2017

14:52 | 30/11/2016
Loja dos Correios
Loja dos Correios

[FOTO1]Por causa da crise financeira, a empresa estatal Correios decidiu encerrar as atividades do serviço do e-Sedex. Conforme o jornal O Globo, o anúncio oficial será feito nos próximos dias. Para os franqueados, o encerramento dos serviços irá causar uma queda de receitas. Eles já se organizam para recorrer à Justiça para manter o funcionamento do produto. As informações são do O Globo.


Segundo a Associação Brasileira de Franquias Postais (Abrapost), poderá causar uma perda significativa para as receitas da empresa já que o faturamento corresponde a 30% das lojas. “O que está deixando a gente assustado é que recebemos centenas de ligações de associados querendo saber o porquê de os Correios terem decidido acabar com o e-Sedex. Não sei responder. A gente está muito preocupado hoje com a possibilidade de o cliente ir para a concorrência”, comentou Chamoun Hanna Joukeh, presidente da Abrapost. 


Ele ressalta que a melhor medida seria reajustar o valor do serviço e-Sedex e não encerrar suas atividades. O Correios disse ao O POVO Online, por meio de sua assessoria de imprensa, que "todos os serviços de encomendas dos Correios são utilizados pelo e-commerce para o envio de produtos a todas as localidades do País". A partir do dia 1º de janeiro de 2017 o serviço do e-Sedex será encerrado, mas que a empresa irá continuar a prestar serviços de entregas de produtos vendidos pela internet. 

 

Além disso, a empresa comunicou que o serviço está disponível para as datas comemorativas de fim de ano, como Natal e Black Friday. Os clientes da empresa que usufruem dos serviços do e-Sedex estão sendo notificados. 


O e-Sedex é um serviço exclusivo para o comércio eletrônico. O preço é semelhante aos da encomenda tradicional e com os mesmos prazos de entrega. A cobertura do serviço abrange algumas cidades brasileiras e permite o transporte de objetos de até 15 quilos.

 

Redação O POVO Online

TAGS