PUBLICIDADE
Notícias

Indústrias receberão consultoria para melhorar produtividade

As ações fazem parte do programa Brasil Mais Produtivo, do Governo Federal, lançado hoje em Fortaleza

15:18 | 23/09/2016
NULL
NULL

[FOTO1] 

O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Pereira, lançou nesta sexta-feira, 23, em Fortaleza, o Plano Nacional da Cultura Exportadora (PNCE) e o programa Brasil Mais Produtivo no Ceará. Os programas visam melhorar o processo produtivo das empresas para ampliar a entrada de mercadorias da região no comércio internacional.

 

Em cerimônia realizada na sede da Federação das Indústrias do Ceará (FIEC), o ministro destacou que os números da indústria brasileira não foram favoráveis nos últimos meses e embora já possa ser possível perceber alguns sinais de recuperação, especialmente da confiança do empresariado brasileiro, continua sendo um grande desafio para o Governo e para os setores encontrar novos caminhos de desenvolvimento, principalmente, em tempos de ajuste fiscal e de crédito reduzido.

“Para que a indústria possa manter o seu protagonismo e retomar o seu crescimento junto com o crescimento do País, nós entendemos que é preciso melhorar a sua competividade e produtividade. Temos trabalhado também na inserção das novas empresas no comércio internacional que para nós é uma alternativa quando o mercado interno se mostra recessivo”.

No Ceará, 120 empreendimentos dos setores metalomecânico, de confecções e de calçados serão beneficiados nesta primeira etapa dentro do Programa Brasil Mais Competitivo. O objetivo é reduzir sete tipos de desperdícios mais comuns no processo produtivo: superprodução, tempo de espera, transporte, excesso de processamento, inventário, movimento e defeitos. Em todo País, estão sendo investidos mais de R$ 50 milhões no programa, que vai atender três mil pequenas e médias indústrias dos setores de alimentos e bebidas, vestuário e calçados, metalomecânico e moveleiro.

Já o PNCE tem o objetivo de aumentar o número de empresas que operam no comércio exterior e incentivar o aumento das exportações de produtos e serviços do Ceará. As empresas assistidas terão acompanhamento permanente com ferramentas de treinamento, capacitação, consultoria para adequação de produtos, e identificação de mercados.

O governador Camilo Santana destacou que o Estado tem um ambiente propício para melhorar as exportações, em especial com os investimentos feitos para ampliação e modernização da Zona de Processamento de Exportações (ZPE) do Pecém, a única em funcionamento no Brasil. Só a Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), instalada no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), vai permitir ampliar em 45% o produto interno bruto industrial e em 12% o PIB do Estado. “Isso abre um leque de oportunidades principalmente para o setor metalmecânico para que possa, inclusive, se instalar na ZPE e aumentar nossa produção e as exportações”.

TAGS