PUBLICIDADE
Notícias

Demissões no varejo desaceleram em julho

11:08 | 29/08/2016
O saldo entre trabalhadores admitidos e demitidos no varejo registrou desaceleração no mês de julho, de acordo com divulgado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) desta segunda-feira, 29. O saldo, no mês, foi de 15,2 mil negativos, frente aos 27,9 mil de junho.

A previsão da CNC é de que 2016 feche com um saldo negativo de 230 mil postos de trabalho. Se essa previsão se confirmar, a força de trabalho no setor encolherá 3%, o que seria o pior resultado em mais de uma década.

Nos últimos 12 meses, 3,52 milhões de pessoas foram desligadas – o menor nível desde dezembro de 2010, quando foram 3,5 milhões. O ranking da queda de emprego no varejo é liderado pelos ramos de móveis e eletrodomésticos (-9,1%), livrarias e papelarias (-6%) e comércio automotivo (-5,9%). Esses segmentos também são os que mais se destacam negativamente em termos de volume de vendas: respectivamente -15,7%, -15,5% e -17,1%.

Já em números absolutos, o maior destaque negativo é o segmento de vestuário e calçados, com redução de 59,9 mil vagas. Responsável por 13% da força de trabalho no varejo, esse setor registrou, nos últimos 12 meses, queda de 11,3% no volume de vendas.

Redação O POVO Online
TAGS