PUBLICIDADE
Notícias

Número de desempregados diminui na Região Metropolitana de Fortaleza

O contingente de desocupados passou de 236 mil em maio deste ano para 231 mil no mês passado. Uma redução de 5 mil desempregados

14:29 | 27/07/2016

O número de desempregados diminuiu na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), passando de 236 mil pessoas desocupadas em maio deste ano para 231 mil no mês passado. Ou seja, houve uma retração de cinco mil no contingente de desempregados.  Em Salvador e em São Paulo, o número de desempregados elevou-se e pouco variou no Distrito Federal e em Porto Alegre.


No mês em análise, o nível ocupacional pouco variou em Fortaleza (-0,2%) e no Distrito Federal (-0,2%). Elevou-se apenas em São Paulo (0,7%), diminuiu em Porto Alegre (-0,8%) e Salvador (-0,8%).


Os dados acima são de junho deste ano do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e da Fundação Seade, que realizam a Pesquisa de Emprego e Desemprego em quatro regiões metropolitanas e no Distrito Federal, todos os meses.


Setores
Na indústria de transformação houve geração de postos de trabalho em Fortaleza (4,3% ou mais 11 mil ocupados) e Salvador (2,0% ou 2 mil). Houve redução em Porto Alegre (-5,0% ou -14 mil) e no Distrito Federal (-4,0% ou -2 mil) e estabilidade em São Paulo.


Na construção, o nível de ocupação aumentou no Distrito Federal (3,2% ou geração de 2 mil postos) e, ligeiramente, em Porto Alegre (0,8% ou 1 mil). Nas demais regiões, houve declínio no nível de ocupação em Fortaleza (-4,0% ou -5 mil), Salvador (-3,6% ou -4 mil) e São Paulo (-1,0% ou -6 mil).  


No comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas, verificou-se crescimento da ocupação somente em Salvador (1,1% ou mais 3 mil ocupados). Nas demais áreas metropolitanas pesquisadas houve redução no nível ocupacional em São Paulo (-2,6% ou -44 mil), Fortaleza (-1,6% ou -6 mil), Porto Alegre (-0,9% ou -3 mil) e no Distrito Federal (-0,8% ou -2 mil).

 
O nível ocupacional do setor de serviços elevou-se em São Paulo (2,2%, ou mais 121 mil ocupados) e, em menor medida, em Porto Alegre (0,4% ou 4 mil). Reduziu-se em Salvador (-1,4% ou -13 mil) e pouco variou no Distrito Federal (- 0,2% ou -2 mil) e em Fortaleza (-0,2% ou -2 mil).


Assalariados
Segundo posição na ocupação, o número de assalariados aumentou em São Paulo (1,8%), praticamente não se alterou em Fortaleza (0,3%) e diminuiu em Porto Alegre (- 2,8%), Salvador (-1,6%) e no Distrito Federal (-0,9%). No setor privado, houve redução do assalariamento com carteira de trabalho assinada nas regiões de Porto Alegre (-3,8%), Salvador (-2,3%) e no Distrito Federal (-0,9%) e manteve relativa estabilidade em São Paulo (0,1%) e Fortaleza (0,1%).


O contingente de trabalhadores sem carteira de trabalho assinada cresceu em São Paulo (9,8%), Porto Alegre (2,0%) e, em menor proporção, no Distrito Federal (1,0%) e reduziu-se em Salvador (-2,9%) e Fortaleza (-1,4%).


Já o contingente de trabalhadores autônomos aumentou em Porto Alegre (10,8%) e decresceu no Distrito Federal (-1,3%), São Paulo (-1,1%) e apresentou relativa estabilidade em Fortaleza (-0,5%) e Salvador (-0,4%). O número de empregados domésticos cresceu em Porto Alegre (3,6%), Salvador (2,6%) e no Distrito Federal (1,3%), diminuiu em São Paulo (-2,5%) e não se alterou em Fortaleza.

 

Em relação àqueles trabalhadores classificados nas demais posições, que inclui empregadores, trabalhadores familiares e donos de negócio familiar, entre outros, o número ocupado aumentou no Distrito Federal (5,1%) e Salvador (4,0%) e declinou em Fortaleza (-5,5%), São Paulo (-3,7%) e Porto Alegre (-2,6%).

 

Rendimento
Entre abril e maio de 2016, o rendimento médio real dos ocupados aumentou em Porto Alegre (1,6%, passando a equivaler a R$ 1.983), Fortaleza (0,8%, R$ 1.287), pouco variou em São Paulo (0,4%, R$ 1.961), praticamente não alterou em Salvador (0,1%, R$1.279) e diminuiu ligeiramente no Distrito Federal (-0,5%, R$ 2.832).


O salário médio aumentou em Porto Alegre (3,7%, passando a equivaler R$ 1.936), Salvador (1,0%, R$ 1.374) e, em menor proporção, Fortaleza (0,6%, R$ 1.394), reduziu no Distrito Federal (-1,2%, passando a corresponder a R$ 2.948) e manteve-se estável em São Paulo (R$ 2.018).


Comportamento em 12 meses
Em comparação com junho de 2015, a taxa de desemprego total aumentou em todas as regiões do Sistema PED: no Distrito Federal (de 14,2% para 19,0%), em Fortaleza (de 7,9% para 12,7%), Porto Alegre (de 8,5% para 10,3%), Salvador (de 18,0% para 24,8%) e São Paulo (de 13,2% para 17,6%).


Nos últimos 12 meses, o nível de ocupação diminuiu em todas as regiões pesquisadas: Fortaleza (-6,3%), Salvador (-6,0%), Porto Alegre (-5,5%), Distrito Federal (-4,8%) e São Paulo (-3,4%).

TAGS