PUBLICIDADE
Notícias

Brasil foi o quarto País em crescimento de energia eólica em 2015

O relatório mostra que, ano passado, foram adicionados 2,75 GW de energia eólica à produção do Brasil, com novas 1.373 turbinas em 111 parques eólicos, superando a marca dos 2,5 GW instalados em 2014

13:01 | 20/04/2016

O Global World Energy Council (GWEC) divulgou esta semana seu relatório anual com dados mundiais de energia eólica, o 2015 Global Wind Market Report. O relatório mostra que, ano passado, foram adicionados 2,75 GW de energia eólica à produção do Brasil, com novas 1.373 turbinas em 111 parques eólicos, superando a marca dos 2,5 GW instalados em 2014.

 

O País é um importante destaque deste trabalho, já que a capacidade instalada brasileira de energia eólica tem apresentado crescimentos que se destacam na América Latina e também no ranking mundial da entidade.

De acordo com o GWEC, o Brasil foi o quarto país em crescimento de energia eólica no mundo em 2015, atrás da China, Estados Unidos e Alemanha e representando 4,3% do total de nova capacidade instalada no ano passado no mundo todo. Em capacidade instalada total em 2015, o Brasil aparece no ranking do GWEC em 10º lugar, com 8,715 GW de capacidade instalada.

Números da energia eólica no Brasil e no Mundo

Os dados abaixo, coletados e atualizados constantemente pela Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), mostram o cenário da produção de energia eólica no Brasil.

No início do ano de 2016, o Brasil alcançou a marca de 9 GW de capacidade instalada na Matriz Elétrica Nacional, o que, em termos de geração efetiva, corresponde à usina hidrelétrica de Belo Monte. De acordo com dados de março de 2016, a capacidade está em 9,2 GW distribuída em 369 parques eólicos.
Em 18 de abril de 2016, verificou-se um novo e importante recorde de geração eólica do subsistema nordeste, 4.600 MW às 10h06, representando 43% da carga deste subsistema, com um fator de capacidade de 74%.
Em 2015, foram cerca de US$5 bilhões investidos, 41 mil empregos gerados, mais de 11 milhões de residências recebendo energia elétrica proveniente da fonte eólica mensalmente.
Ao final de 2015, em termos mundiais, o Brasil foi classificado na 10ª posição dentre as maiores capacidades instaladas acumuladas e na 4ª posição considerando as novas potências eólicas instaladas. (GWEC)
Em 2015, a energia eólica foi a fonte que mais cresceu na matriz elétrica brasileira, responsável pela participação de 39,3% na expansão, seguida pela energia hidrelétrica (35,1%) e energia termelétrica (25,6%).
A energia eólica finalizou 2015 com 6,2% de participação na matriz, com uma capacidade instalada de 8,72 GW, números que indicam o aumento de 46,1% em relação à capacidade instalada em 2014, o maior crescimento, em termos percentuais, considerando os 10 países que mais instalaram nova capacidade eólica, seguido de Polônia (33%) e China (27%).
Os 2,75 GW de energia eólica instalados no ano passado representam um novo recorde de instalação no Brasil, porque superam a marca dos 2,5 GW instalados em 2014.
De acordo com o relatório “Climatescope 2015”, produzido pela BNEF, o Brasil é o segundo país mais atrativo do mundo para receber investimentos em energias renováveis no ranking liderado pela China.

 

Redação O POVO Online

TAGS