PUBLICIDADE
Notícias

Alemanha deveria elevar investimento e produtividade, diz OCDE

11:40 | 05/04/2016
preocupar em elevar o investimento e a produtividade para construir uma economia mais sólida e uma sociedade mais inclusiva, afirmou hoje a Organização de Cooperação para o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Embora os níveis de desemprego estejam baixos, em parte por causa de reformas passadas do mercado de trabalho, a OCDE criticou a Alemanha por não fazer o suficiente para impulsionar o crescimento da produtividade. Um impulso maior ao investimento também ajudaria a elevar os padrões de vida no país.

"O crescimento da produtividade do trabalho tem se enfraquecido, além de ser baixa no setor de serviços. Uma produtividade mais forte é crucial para assegurar a alta dos padrões de vida no médio e longo prazo, quando a força de trabalho no país deve recuar de forma mais acentuada como parte do processo de envelhecimento da população", alertou a OCDE.

"O enorme fluxo recente de refugiados deve ajudar a minimizar o impacto das mudanças demográficas sobre o mercado de trabalho no médio termo, mas políticas especiais terão que ser criadas para integrar os recém-chegados à sociedade e ao mercado de trabalho alemão."

Cerca de 1 milhão de imigrantes chegaram à Alemanha apenas em 2015, a maioria fugindo de situações de conflito no Oriente Médio e norte da África.

"Uma regulação menos restritiva para a entrada dos imigrantes em determinados mercados de trabalho, como o de artesanato, poderia elevar os benefícios econômicos da imigração", exemplificou a entidade.

A OCDE reiterou sua estimativa de que a principal economia europeia irá crescer 1,4% este ano e 1,5% em 2017. A projeção é menor do que a do próprio governo alemão, que estima expansão de 1,7% do PIB este ano.

A entidade também pediu por mais reformas para eliminar barreiras de entrada das mulheres ao mercado de trabalho, como a redução do imposto sobre a segunda fonte de renda da família. O tributo faz com que muitas mulheres deixem de procurar por vagas em tempo integral. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS