PUBLICIDADE
Notícias

Sindicato dos Bancários aderem ao Dia Nacional de Luta

Empregados da Caixa Econômica Federal no Ceará decidem participar nesta quinta, 24, do Dia Nacional de Luta contra a reestruturação que vem sendo executada pelo banco

20:54 | 23/03/2016

 Na noite desta quarta, 23, em assembleia, empregados da Caixa Econômica Federal no Ceará foram informados que o Sindicato dos Bancários do Ceará entrou com ação civil coletiva, seguindo a linha da ação ajuizada pelo Sindicato dos Bancários de Brasília (DF), que ganhou liminar suspendendo o processo de reestruturação da Caixa. Foi deliberada paralisação de uma hora no edifício-sede da Caixa no centro.

 Os protestam desta quinta-feira, 24, serão contra a extinção de unidades, os remanejamentos de funcionários, retirada de comissões. Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (Contraf-CUT), o movimento é contra todas as mudanças que rompem com compromissos trabalhistas e com o papel social que o banco representa para a sociedade brasileira.

 O presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo, destaca que a reestruturação tem impacto negativo em vários estados do Nordeste, principalmente. Explica que as operações estão sendo tiradas de estados como Ceará, Pernambuco e Piauí e sendo levadas para o Sul/ Sudeste. "É um prejuízo para a população nordestina e trabalhadores", comenta, considerando que a reestruturação da Caixa discrimina o Nordeste.

 

Reestruturação

 Os empregados não concordam com uma reestruturação que teve início em 10 de março deste ano, segundo eles, sem a mínima negociação com os sindicatos e federações, muito menos com a sociedade. A Contraf-CUT afirma que a diretoria da Caixa não pode simplesmente desmontar um banco para economizar e gerar lucro.

 Segundo o Sindicato do Ceará, a situação pegou todos de surpresa. O que se sabe é que são “cinco ondas”, cuja primeira já atingiu setores importantes como Giret, Girec e Giris em Fortaleza e o objetivo é gerar economia para aumentar a lucratividade. E o prazo final para conclusão do precesso é é 15 de abril. “Vivemos um momento de muita dificuldade que está deixando os empregados da Caixa no Nordeste apavorados. Temos que dar um basta e suspender imediatamente esse processo de reestruturação. Os empregados da Caixa precisam de respeito.

 Nossa força é a nossa mobilização. Dia 24/3 vamos parar para barrar esse processo”, afirma Marcos Saraiva, que representa a Fetrafi-Ne na mesa de negociação da Caixa.

 

Caixa diz que faz mudança no modelo de gestão

Em nota enviada ao O POVO, a Caixa Econômica Federal informa que se trata de uma mudança no modelo de gestão do banco para tornar sua matriz mais estratégica, reforçar suas áreas de apoio operacional e dar melhores condições para que as agências realizem negócios e aprimorem o atendimento aos clientes da instituição. Acrescenta que "está compatibilizando as necessidades da empresa com o perfil e experiência de seus empregados. As adequações em sua estrutura vão racionalizar processos, melhorar a gestão estratégica, operacional e negocial do banco", diz a nota, adiantando que irá recorrer da decisão liminar da Justiça de Brasília.

 

Redação O POVO Online, com informações dos repórteres Andreh Jonathas e Artumira Dutra 

 

TAGS