PUBLICIDADE
Notícias

País perde 104.582 empregos com carteira assinada em fevereiro

Os resultados foram divulgados nesta terça-feira, 22, pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social, com dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged)

16:03 | 22/03/2016

O Brasil perdeu 104.582 empregos com carteira assinada em fevereiro. O saldo é resultado de 1.276.620 admissões e 1.381.202 desligamentos. Os dados equivalem a uma variação negativa de 0,26% no estoque de empregos, ante mês anterior. Com essa variação, o estoque em fevereiro segue estável com 39.488.138 postos de trabalho. Os resultados foram divulgados nesta terça-feira, 22, pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social, com dados do Cadastro-Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

 

Segundo os números, em duas regiões e seis estados, o saldo foi positivo no mês. No Rio Grande do Sul houve a criação de 6.070 postos, uma variação de %2b0,23%, devido à Indústria da Borracha e Fumo (%2b3.244), Calçados (%2b2.574) e Ensino (%2b1.182). Esse resultado no Rio Grande do Sul foi melhor que o registrado em fevereiro de 2015, quando foram gerados 3.220 postos. Santa Catarina teve saldo positivo de 4.793 postos ou %2b0,24%, em razão da Administração Pública (%2b2.628), Indústria Têxtil (%2b2.234) e Ensino (%2b1.751). No Mato Grosso a geração de 3.683 (variação de %2b0,55%) foi puxada pelo bom desempenho da Agropecuária (%2b2.842).

Os destaques na geração de emprego em fevereiro foram as regiões Sul e Centro-Oeste, com saldo positivo de 8.813 (%2b0,12) e 4.659 (%2b0,15), respectivamente. No Sul, o desempenho favorável ocorreu no Ensino e Indústria da Borracha e Fumo. O comportamento na região Centro-Oeste foi puxado pelo aumento do emprego na Agropecuária. As regiões com desempenho negativo foram o Nordeste (-58.349 postos ou -0,89%), Sudeste (-51.871 postos ou -0,25%) e o Norte (-7.834 postos ou -0,43%).

Nas áreas metropolitanas, ocorreu queda de 0,36% no nível de emprego (-57.780 postos), desempenho oriundo da retração em sete das nove regiões metropolitanas, com destaque para São Paulo (-20.296 postos ou -0,31%), Rio de Janeiro (-15.388 postos ou -0,55%) e Recife (-7.414 postos ou -0,86%).

Análise Setorial

Dos oito setores de atividade econômica, a administração paública apresentou desempenho positivo (%2b 8.583 postos ou %2b0,97%), sendo o saldo superior ao registrado em janeiro de 2016 (-263 postos). O comércio teve uma perda de 55.520 postos ou -0,61%, sendo o principal setor responsável pelo desempenho negativo do mês, seguido pela indústria de transformação (-26.187 postos ou -0,34%) e a construção civil (-17.152 ou -0,65%). Neste último setor, a queda foi menor que o mesmo período do ano anterior, quando foram perdidos 25.823 postos de trabalho no mês.

No setor de serviços houve uma perda de 9.189 postos (-0,05%) e no setor agropecuário (-3.661 postos ou -0,23%), um saldo negativo menor que o ocorrido em fevereiro de 2015 (-9.471 postos). A extrativa mineral, com perda de 390 postos, também evidenciou uma redução na queda do emprego frente ao mesmo mês de 2015, quando o setor perdeu 1.260 empregos.

Redação O POVO Online

TAGS