PUBLICIDADE
Notícias

Japão enfrenta riscos e precisa relaxar política monetária, diz dirigente do BoJ

10:00 | 23/03/2016
A economia do Japão enfrenta uma série de riscos e é necessário que o país siga com o agressivo relaxamento de sua política monetária, afirmou Yukitoshi Funo, dirigente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), durante discurso a líderes empresariais.

"Existe uma abrangente gama de riscos à perspectiva (da economia japonesa) e precisamos observá-los de perto a partir de amplas perspectivas", disse Funo, durante evento em Kobe, no oeste do Japão.

Funo afirmou que a inflação do Japão provavelmente alcançará a meta de 2% do BC japonês até o segundo semestre do ano que vem, mas seu discurso enfatizou os perigos da economia global.

Funo, que é um ex-executivo da Toyota, referiu-se à desaceleração da China, ao impacto da política monetária dos EUA e a riscos geopolíticos no Oriente Médio.

O dirigente do BoJ também destacou os riscos negativos às exportações do Japão e o fraco crescimento dos salários do país.

Sakurai é aprovado para BoJ

A câmara alta do Parlamento japonês aprovou ontem a nomeação de Makoto Sakurai como novo integrante do comitê de política monetária do BoJ. Sakurai é defensor da política de taxas de juros negativas, que o BC japonês decidiu adotar no fim de janeiro. Ontem, a indicação de Sakurai já havia recebido o aval da câmara baixa.

Sakurai, que lidera um instituto de pesquisa financeira com seu nome, vai entrar no lugar de Sayuri Shirai, cujo mandato expira no próximo dia 31. Fonte: Dow Jones Newswires.

TAGS