PUBLICIDADE
Notícias

Cada micro e pequena empresa terá R$ 1 milhão em crédito

Dentre outros diferenciais, o Cartão FNE possibilita a aquisição de máquinas, veículos e equipamentos em até 72 meses, com direito a bônus de adimplência de 15% sobre os juros do FNE

17:25 | 10/03/2016
NULL
NULL

Micro e pequenos empreendedores da região Nordeste terão acesso a uma nova modalidade de crédito para fazer contratações de longo prazo e capital de giro com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). O cartão FNE foi lançado nesta quinta, 10, pelo Banco do Nordeste (BNB) em cerimônia na sede da Federação das Indústrias (Fiec), em Fortaleza. Com limite de R$ 1 milhão, dentre outros diferenciais, o cartão possibilita a aquisição de máquinas, veículos e equipamentos em até 72 meses, com direito a bônus de adimplência de 15% sobre os juros do FNE.

 A nova linha de crédito também permite a aquisição de mercadorias, matéria-prima e insumos em até 36 meses. São alguns dos bens financiáveis: veículos, móveis, utensílios, máquinas, equipamentos, além de matéria prima e insumos para a indústria, insumos utilizados por empresas turísticas e de prestação de serviços e mercadorias destinadas à constituição de estoques de empresas comerciantes.

 Mais de 5 mil fornecedores já estão cadastrados no sistema. “Esse é um produto inovador que chega ao mercado para conferir mais agilidade, segurança e transparência ao processo de crédito. O cliente poderá utilizar o Cartão FNE para obter financiamentos com recursos do Fundo Constitucional para investimento ou capital de giro”, enfatizou o presidente do Banco do Nordeste, Marcos Holanda. O superintendente do BNB no Ceará, João Robério Messias, explica que outra facilidade do cartão é que uma vez aprovado o crédito na agência, a empresa tem a comodidade de fazer as demais operações pela internet, inclusive, sem precisar ir novamente à agência para fazer a renovação do crédito. “O crédito é rotativo, conforme vai pagando, pode usar de novo o crédito”. A validade do cartão é de cinco anos.

 O presidente da Fiec, Beto Studart, ressaltou que a desburocratização do acesso ao crédito é importante para que a economia volte a girar com maior velocidade. “O cartão vai dar liberdade aos empresários para comprarem nas lojas e fábricas. É fantástico porque o que nós queremos é a desburocratização do sistema, porque os recursos existem, estão à disposição do Nordeste”, afirmou.

TAGS