PUBLICIDADE
Notícias

Grandes bancos firmam acordo não vinculante para criar gestora de crédito

12:25 | 21/01/2016
Os grandes bancos brasileiros firmaram um memorando de entendimentos não vinculante visando a criação de uma gestora de inteligência de crédito (GIC). O acordo envolve Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander Brasil.

A GIC desenvolverá um banco de dados com o objetivo de agregar, conciliar e tratar informações cadastrais e de crédito de pessoas físicas e jurídicas. Os clientes terão que autorizar a inclusão de suas informações no banco de dados, conforme exigido pelas normas aplicáveis.

Segundo comunicado divulgado pelos bancos nesta quinta-feira, 21, a GIC propiciará uma maior troca de informações sobre pessoas físicas e empresas, proporcionando o desenvolvimento e o alcance de maior eficiência na gestão do crédito, o que poderá facilitar a concessão de empréstimos, numa perspectiva de médio e longo prazos.

A GIC será estruturada como uma sociedade anônima e seu controle será compartilhado entre as instituições financeiras, sendo que cada uma delas deterá 20% de seu capital social. O conselho de administração da nova empresa será composto por membros indicados pelos bancos, e os executivos terão dedicação exclusiva ao negócio, preservando sua gestão independente.

De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a partir da assinatura do memorando, a expectativa é que a nova empresa leve cerca de quatro anos para realizar a estruturação tecnológica e geração de dados que viabilizem a operação. A GIC e o consequente aperfeiçoamento da análise e gestão do crédito, segundo a entidade, devem contribuir, no futuro, para a queda de spreads, da inadimplência e do superendividamento de clientes. À medida que existam melhores condições, a Febraban acredita ser possível ampliar o acesso da população ao crédito.

"A gestora de inteligência de crédito abrirá oportunidades para desenvolver novas ferramentas que melhorem a eficácia das tomadas de decisões de crédito e de sua precificação, contribuindo também para a disseminação de boas práticas no mercado", avalia Murilo Portugal, presidente da Febraban, em nota à imprensa. "No longo prazo, informações ampliadas e consolidadas provenientes da nova empresa favorecerão o crescimento do crédito em geral e beneficiarão toda a economia", acrescenta.

A operacionalização técnica da GIC será realizada em conjunto com a LexisNexis Risk Solutions FL Inc., empresa selecionada para desenvolver e implementar a plataforma tecnológica e analítica da GIC, por meio de contrato de prestação de serviços.

A conclusão da operação está sujeita à celebração de contratos definitivos entre os bancos, bem como ao cumprimento de determinadas condições precedentes, incluindo a aprovação das autoridades regulatórias competentes.

TAGS