PUBLICIDADE
Notícias

Economatica: 28 empresas do Ibovespa já perderam mais de 50% do valor de mercado

17:25 | 19/01/2016
Das 57 empresas que compõem o principal índice da BM&FBovespa, o Ibovespa, 28 perderam mais de 50% do valor de mercado desde as suas máximas históricas até o pregão de segunda-feira, 18, conforme levantamento da Economatica. Segundo a consultoria, a Gerdau Metalúrgica (GOAU4) é a companhia que teve maior porcentual de queda, enquanto Petrobras foi a que mais perdeu em termos nominais, seguida por Vale.

No caso da Gerdau Metalúrgica, entre a sua máxima histórica - em 9 de junho de 2008, a companhia era avaliada por R$ 23,3 bilhões - e segunda-feira, as perdas foram de 95,77%, para R$ 988 milhões; 90,5% da perda do valor de mercado da Gerdau Metalúrgica ocorreu do final de 2010 até o pregão desta segunda-feira.

Já a queda acumulada da Petrobras foi de 85,55% entre a sua máxima histórica (21 de maio de 2008, quando a empresa valia R$ 510,3 bilhões) até segunda-feira, quando seu valor de mercado ficou em R$ 73,7 bilhões. A redução, em termos nominais, foi de R$ 436,6 bilhões. Desde o dia 31 de dezembro de 2010, quando a empresa era avaliada 25,4% menos, em R$ 380,2 bilhões, até segunda-feira, a petrolífera perdeu R$ 306,4 bilhões, queda de 80,6%.

Ainda no levantamento da Economatica, a Vale é a segunda empresa com a maior queda de valor de mercado nominal entre o máximo de R$ 322,9 bilhões, que foi registrado no dia 16 de maio de 2008 e segunda-feira, com R$ 41,9 bilhões. A redução de valor no período foi de R$ 280,9 bilhões e o porcentual, 86,99%. Somente entre o dia 31 de dezembro de 2010 e a última segunda-feira, a empresa perdeu R$ 233 bilhões ou 84,73% do seu valor de mercado.

Ranking

Conforme adiantado pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, na última sexta-feira, 15, a Vale está prestes a deixar o ranking das 10 principais empresas do País em valor de mercado. No fechamento de 2015, conforme dados da Economatica, a mineradora ocupava a sexta posição na lista, uma colocação a menos do que em 2014. Nesses primeiros 16 dias de janeiro, sob a influência de China e preços do minério de ferro, caiu para a décima posição. Nesta tarde, os papéis da companhia apresentavam valorização, o que pode segurar a empresa no ranking no pregão desta terça-feira, 19. Os papéis ordinários da empresa (Vale3) subiam 5,06%, para R$ 9,34 e os preferenciais Classe A (Vale5) avançavam 2,30%, para R$ 7,11, enquanto o Ibovespa tinha alta de 0,74%.

TAGS