PUBLICIDADE
Notícias

Região Metropolitana de Fortaleza acumula inflação de 6,46% em 12 meses; segunda maior alta no mês

10:08 | 05/12/2014
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, alcançou alta de 6,16% no acumulado de 12 meses até novembro na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). O percentual chega perto do teto da meta estabelecida pelo Governo Federal (6,5%). No Brasil, a alta na inflação alcança 6,56%. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

No mês de novembro, a RMF alcançou a segunda maior alta na inflação dentre as regiões metropolitanas no Brasil (0,81%), superada apenas por Goiânia (1,21%). O País alcançou variação de 0,51%, maior do que a taxa de 0,42% de outubro.

O acumulado no ano de 2014 fechou em 5,58% no País, ficando acima dos 4,95% de igual período de 2013. Em Fortaleza, fechou 5,36% no ano.

Alimentos e bebidas

Alimentação e bebidas, com 0,77%, deteve não só a maior variação como o maior impacto de grupo no mês, 0,19 ponto percentual, e foi responsável por 37% do IPCA de novembro. Encontra-se a seguir tabela com os resultados de todos os grupos de produtos e serviços pesquisados.

O item carnes, com 0,09 ponto percentual, permaneceu, pelo terceiro mês consecutivo, na liderança do ranking dos principais impactos. Os preços aumentaram 3,46% em novembro, mais do que em outubro (1,46%) e acumulam alta de 17,81% no ano.

A energia elétrica, com aumento de 1,67%, também figura entre os principais impactos, com 0,05 ponto percentual. As maiores variações foram registradas em Fortaleza (10,18%) e Salvador (6,97%), em decorrência de aumentos no PIS/PASEP/COFINS, além do Rio de Janeiro (8,83%), onde ocorreu reajuste de 17,75%, em 7 de novembro, em uma das concessionárias. Os itens aluguel residencial (0,60%), mão de obra (0,98%) e gás de botijão (0,56%) também pressionaram o grupo Habitação, que ficou em 0,69%.

Redação O POVO Online
TAGS