PUBLICIDADE
Notícias

IBGE: abates de frangos e de suínos batem recordes no 3º trimestre

08:50 | 11/12/2014
O Brasil abateu 1,419 bilhão de frangos no terceiro trimestre de 2014, uma alta de 2,7% em relação ao terceiro trimestre do ano passado, informou nesta quinta-feira, 11, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado interrompeu uma sequência negativa de três trimestres e estabeleceu um novo recorde desde que a pesquisa foi criada, em 1997. Em relação ao segundo trimestre deste ano, o abate de frangos cresceu 6,7%.

O peso acumulado das carcaças foi de 3,249 milhões de toneladas no terceiro trimestre do ano. O resultado foi 5,7% maior do que em igual período de 2013 e 6,7% superior ao segundo trimestre.

Na comparação com o terceiro trimestre de 2013, a região Sul elevou sua participação de 59,8% para 61,4%, diante de um aumento de 5,4% no volume de cabeças abatidas. Os três Estados da região tiveram desempenho positivo, com destaque para o Rio Grande do Sul (10,1%).

Já o Sudeste teve sua participação reduzida de 19,9% para 19,1% e menor volume de frangos abatidos. Só Minas Gerais abateu 7,2% a menos do que no terceiro trimestre de 2013, informou o IBGE.

No Centro-Oeste, os Estados de Goiás e Mato Grosso e o Distrito Federal registraram quedas no número de cabeças de frango abatidas. Com isso, a região teve sua participação reduzida de 15,4% para 14,4%.

Suínos

De acordo com o IBGE, o Brasil abateu 9,641 milhões de suínos no terceiro trimestre do ano, uma alta de 3,0% em relação a igual período de 2013. Foi o melhor resultado para um terceiro trimestre em toda a série histórica da pesquisa, criada em 1997, estabelecendo um recorde para o período. Já na comparação com segundo trimestre de 2014, o aumento nos abates foi de 5,1%.

O peso acumulado das carcaças no terceiro trimestre alcançou 833,369 mil toneladas, um aumento de 4,2% em relação ao segundo trimestre. Na comparação com o terceiro trimestre de 2013, o avanço foi de 2,8%.

O Sul respondeu por 66,0% do abate nacional de suínos no terceiro trimestre, seguido pelas regiões Sudeste (18,7%), Centro-Oeste (14,2%), Nordeste (1,0%) e Norte (0,1%), informou o IBGE.

Na comparação anual, a região Sul ganhou participação diante do aumento de 3,2% no número de cabeças abatidas, puxado principalmente pela alta de 8,0% no volume de cabeças abatidas em Santa Catarina. A região Sudeste também elevou sua participação, com a escalada positiva de São Paulo (9,7%). Enquanto isso, a região Centro-Oeste registrou queda de participação, apesar de o número de cabeças abatidas ter avançado por lá, com destaque para Mato Grosso do Sul (12,6%).

TAGS