PUBLICIDADE
Notícias

Déficit em conta corrente de 2014 pode ser o pior em 13 anos

13:00 | 19/12/2014
Caso a projeção do Banco Central para o déficit em conta corrente de 2014 se confirme, 3,94% do Produto Interno Bruto (PIB), será o pior resultado em 13 anos (4,19%). Esse desempenho foi influenciado, segundo Tulio Maciel, chefe do Departamento Econômico do BC, sobretudo pela balança comercial, cuja projeção para 2014 saiu de um superávit de US$ 3 bilhões para um déficit de US$ 2,5 bilhões.

O desempenho da balança, em novembro, foi classificado por Maciel como um "destaque" por registrar um déficit de US$ 4,223 bilhões. "A balança vem mostrando resultados negativos e crescentes", afirmou Maciel. Esse movimento, segundo ele, se explica pela queda de preços de commodities, determinando para o resultado negativo do saldo comercial do ano.

O BC elevou a projeção de déficit nas transações correntes de 2014 de US$ 80 bilhões para US$ 86,2 bilhões, o equivalente a 3,94% do PIB. No último relatório de mercado Focus, a mediana das previsões do mercado para este indicador estava em deficitário em US$ 85 bilhões. Para 2015, a autoridade monetária projeta déficit de US$ 83,5 bilhões, equivalente a 3,80% do PIB - no boletim Focus a projeção é menor, de US$ 77,79 bilhões.

Taxa de rolagem

Maciel afirmou ainda que uma mudança importante nas projeções para 2014 está relacionada à taxa de rolagem, cuja previsão passou de 132% para 152%. Para papeis, a projeção é de 100% e para empréstimos, 180%. Para a taxa de rolagem em dezembro, a projeção do Banco Central é de 111%.

Maciel afirmou que, a despeito de volatilidade ligada à economia da Rússia, o quadro de taxas de rolagem "é de normalidade". "Em termos de taxa de rolagem, a gente tem um quadro de normalidade, há inclusive ampliação dessas captações", disse.

O Banco Central informou hoje que a taxa de rolagem de empréstimos de médio e longo prazo captados no exterior ficou em 289% em novembro. Em outubro, a taxa estava em 282% e, em novembro do ano passado, a taxa geral estava em 144%.

TAGS