PUBLICIDADE
Notícias

Bolsa de Tóquio renova máxima em 7 anos mais uma vez

08:10 | 05/12/2014
A Bolsa de Tóquio fechou em alta nesta sexta-feira e renovou, pela terceira vez seguida, seu maior nível em sete anos. Mais uma vez, o avanço foi impulsionado por novas quedas nos preços do petróleo e por um iene ainda mais enfraquecido em relação ao dólar, embora muitos investidores estejam cautelosos na expectativa pelos dados de geração de empregos nos Estados Unidos em novembro, que serão divulgados nesta manhã.

Com isso, o índice Nikkei encerrou o dia com ganho de 0,19%, aos 17.920,45 pontos. As ações negociadas na capital japonesa fecharam a semana com avanço de 2,6% e acumulam alta de 10% no ano.

As empresas listadas na Bola de Tóquio se beneficiam da desvalorização do petróleo porque seus custos de produção ficam mais baratos. Na sexta-feira, os contratos de petróleo bruto para entrega em janeiro passaram a ampliar perdas após a companhia estatal de petróleo da Arábia Saudita, a Sadi Aramco, ter anunciado uma redução do valor do seu produto para Estados Unidos e Ásia, uma queda entre US$ 1,50 e US$ 1,90, em comparação com a cotação para entrega em dezembro.

Pouco antes do fechamento de Tóquio, o petróleo para entrega em janeiro caía 0,48% na Nymex, para US$ 66,49 por barril. Na ICE, o petróleo Brent recuava 0,52%, para US$ 69,28 por barril.

A desvalorização do iene em relação ao dólar também é vista com bons olhos pelo mercado japonês, uma vez que as empresas exportadores do país elevam suas receitas na moeda norte-americana. Pouco antes da bolsa fechar, o dólar era negociado a 120,02 ienes, acima dos 119,78 ienes registrados no fim da tarde de quinta-feira.

Sarah Whitley, analista da Japanese equities at Baillie Gifford & Co., acredita que o enfraquecimento do iene tem melhorado os lucros da empresas e pode ajudar a gerar alta nos preços. "Um pouco de inflação pode contribuir positivamente para as companhias", disse.

Entre as principais exportadoras do país, a Suzuki subiu 1,28%, a Honda registrou alta de 0,35% e a Toyota subiu 0,16%.

TAGS