PUBLICIDADE
Notícias

Abrigar ICC visa incentivar comércio externior, diz CNI

11:10 | 01/12/2014
O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson de Andrade, disse nesta segunda-feira, 01, que a decisão de abrigar a sede da Câmara de Comércio Internacional (ICC, na sigla em inglês) faz parte do trabalho da CNI para incentivar o comércio brasileiro e aumentar a competitividade do País no mercado internacional.

"A presença do ICC sob a égide da CNI é uma ferramenta internacional para impulsionar a economia global, medida necessária para aumentar o comércio internacional", afirmou em seu discurso durante a cerimônia de abertura do escritório do ICC. Andrade defendeu que o Brasil precisa de mais integração internacional e que, para isso, é preciso de uma agenda "proativa" de acordos comerciais e de participação em fóruns internacionais de discussão.

Ele lembrou que, durante a campanha eleitoral deste ano, a CNI entregou um conjunto de propostas para ajudar o País a ser mais competitivo no comércio externo, entre outras coisas, para solucionar distorções tributárias e deficiências de infraestrutura. "E o governo dá os primeiros sinais de acolhimento ao criar um grupo interministerial para examiná-las e transformar em programas de governo", comemorou.

O ICC reabre uma representação no País a partir desta segunda-feira, dois anos após fechar o único escritório que tinha no Brasil. Antes sediada no prédio da Confederação Nacional do Comércio (CNC), no Rio de Janeiro, desde 1977, a nova sede da entidade agora será no prédio da CNI no bairro Brooklin Novo, na capital paulista.

O ICC é uma organização empresarial mundial que estabelece regras que afetam o comércio e investimentos no mercado internacional e auxilia empresas em questões de conflito, por meio da Corte Internacional de Arbitragem, considerada a principal instituição mundial de arbitragem. A Câmara mediou divergências famosas, como a disputa do empresário Abílio Diniz e o grupo francês Casino pelo controle do Pão de Açúcar.

Ministros

O presidente do Conselho da Câmara de Comércio Internacional (ICC - International Chamber of Commerce, em inglês), Daniel Feffer, avaliou que a escolha da nova equipe econômica, anunciada oficialmente na última quinta-feira, 27, indica que o governo vai agir no sentido de aumentar a competitividade brasileira no comércio internacional.

Em seu discurso durante a reabertura do escritório do ICC no Brasil, Feffer afirmou que a câmara de arbitragem se reinstala no País em um momento crucial tanto no âmbito global, com uma economia fragilizada diante de tensões em todos os continentes, quanto no local, quando a economia brasileira passa por dificuldades.

TAGS