PUBLICIDADE
Notícias

Taxa de desemprego média em 2014 está em 4,9%, diz IBGE

11:00 | 19/11/2014
A taxa de desemprego média no ano de 2014, levando em conta os meses de janeiro a outubro, ficou em 4,9%, segundo os dados da Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada nesta quarta-feira, 19, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mesmo período de 2013, a taxa de desocupação média foi de 5,6%.

"Isso significa uma queda de 0,7 ponto porcentual", ressaltou Adriana Beringuy, técnica da Coordenação de Trabalho e Rendimento do IBGE.

Conta própria

De acordo com o IBGE, embora o mercado de trabalho tenha registrado aumento na ocupação na passagem de setembro para outubro, houve recuo no número de empregados com e sem carteira assinada. O que aumentou foi o número de trabalhadores por conta própria.

O total de trabalhadores formais recuou 0,3% em outubro ante setembro, o equivalente a 33 mil vagas a menos com carteira de trabalho assinada. Ao mesmo tempo, os empregados informais, que não possuem carteira, diminuíram 1,9%, o equivalente a 40 mil pessoas. Já o contingente que trabalha por conta própria aumentou 3%, 128 mil trabalhadores a mais no período.

"Só na retrospectiva (da pesquisa) vamos ter um cruzamento para o conta própria de acordo com o grupamento em que se insere e a escolaridade. O que a gente percebe agora é que ele está acelerando", observou Adriana.

Os trabalhadores por conta própria incluem atividades informais como camelô, e autônomos prestadores de serviços. "O que a gente pode observar é um crescimento importante desse tipo de vínculo, que é o conta própria, uma redução dos sem carteira, e a estabilidade do emprego com carteira", disse Adriana.

Em relação a outubro de 2013, o emprego com carteira teve queda de 1,5%, menos 178 mil vagas. Já o emprego sem carteira assinada caiu 6,9%, 149 mil pessoas a menos. Já o trabalho por conta própria cresceu 6,1%, o equivalente a 256 mil trabalhadores a mais nessa condição.

"A gente está observando uma perda na intensidade na formação de postos com carteira, chegando agora no ano de 2014 com um comportamento de estabilidade. Ao passo que o emprego sem carteira continua nessa trajetória de redução. Por outro lado há um crescimento aí importante nesse ano de 2014 do emprego por conta própria", ressaltou.

TAGS