PUBLICIDADE
Notícias

Média das exportações recua 2,8% na 3ª semana do mês

15:00 | 24/11/2014
A média das exportações na terceira semana de novembro foi 2,8% menor que a média de US$ 789,7 milhões registrada até a segunda semana do mês. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a retração se explica em razão das exportações de produtos manufaturados (-6,8%, de US$ 316,5 milhões para US$ 294,9 milhões). O grupo foi afetado principalmente por automóveis de passageiros, óleos combustíveis, bombas e compressores, autopeças e motores para veículos. Os itens classificados como básicos também encolheram, registraram queda de 0,9% nessa base de comparação ao cair de US$ 352,2 milhões para US$ 348,9 milhões. Petróleo, café em grão, carne de frango, bovina e suína estão entre os produtos que derrubaram os básicos.

O contraponto veio dos semimanufaturados, cujas vendas cresceram 9,7%, passando de US$ 96,6 milhões para US$ 106,0 milhões. Ferro/aço, celulose, alumínio em bruto contribuíram para o avanço.

Do lado das importações, houve retração de 3,9% ao passar de US$ 944,8 milhões para US$ 907,8 milhões. Segundo o ministério, o movimento é explicado pela diminuição nos gastos com equipamentos mecânicos, aparelhos eletroeletrônicos, veículos automóveis e partes, adubos e fertilizantes e químicos orgânicos/inorgânicos.

Novembro

Dados do MDIC mostram que houve uma forte desaceleração das exportações em novembro. Na média diária até a terceira semana, as vendas para o exterior caíram de US$ 1,043 bilhão em igual intervalo de 2013 para US$ 782,3 milhões este ano - um tombo de 25%. O recuo foi puxado por manufaturados (-29,5%), básicos (-23,1%) e semimanufaturados (-19,7%). Nas importações também houve recuo nessa base de comparação, queda de 2,5%.

Os itens manufaturados, segundo o MDIC, encolheram por um menor ritmo de venda de óleos combustíveis, automóveis de passageiros, veículos de carga, açúcar refinado, máquinas para terraplenagem e motores para veículos. Os básicos foram influenciados por quedas em soja em grão, minério de ferro, fumo em folhas, milho em grão, farelo de soja, carne bovina e de frango. Os semimanufaturados encolheram devido a quedas de óleo de soja em bruto, açúcar em bruto, ouro em forma semimanufaturada, ferro fundido, ferro-ligas e celulose. Na comparação com outubro de 2014, a retração das exportações foi de 1,8%.

Nas importações, o resultado foi influenciado por queda de gastos com instrumentos de ótica/precisão (-16,2%), químicos orgânicos/inorgânicos (-16,1%), veículos automóveis e partes (-14,3%), siderúrgicos (-12,9%), equipamentos mecânicos (-12,0%) e farmacêuticos (-11,3%). Frente a outubro/2014, houve crescimento de 9,9%, pelos aumentos em combustíveis e lubrificantes (+51,9%), adubos e fertilizantes (+34,2%), veículos automóveis e partes (+8,2%) e aparelhos eletroeletrônicos (+6,5%).

TAGS