PUBLICIDADE
Notícias

Moreira Franco enaltece os investimentos em aeroportos

13:50 | 11/08/2014
O ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Moreira Franco, afirmou no início da tarde desta segunda-feira, 11, que os investimentos em infraestrutura aeroportuária a serem realizados neste e nos próximos anos contribuirão para diminuir o "custo Brasil". A partir de amanhã, a concessionária Rio Galeão (formada por Odebrecht Transport e Changi Airports) assumirá a operação do Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio, e promete realizar R$ 2 bilhões em investimentos até os Jogos Olímpicos de 2016.

"Há um entendimento de que o debate sobre estado máximo e estado mínimo não nos leva aonde o povo brasileiro quer chegar. Precisamos ter investimento anual que seja maior do ponto de vista absoluto e em relação ao PIB, para que se possa diminuir o custo Brasil e criar novas oportunidades", disse Moreira Franco.

O ministro ainda exaltou a concessão dos aeroportos à iniciativa privada, "desonerando" o governo federal de investir nestas frentes e possibilitando a aplicação dos recursos em serviços públicos como educação.

"Vamos aumentar a capacidade do País de crescer, vamos permitir que a infraestrutura baixe o custo Brasil", afirmou o ministro na manhã desta segunda, durante cerimônia na qual o comando da operação do Galeão foi repassado à concessionária.

Segundo Moreira Franco, o repasse também será capaz de modernizar a Infraero, que deixa a situação de monopólio e passa a operar em ampla concorrência. "Há o entendimento de que devemos trabalhar investimento público com investimento privado, com um ambiente de negócios que respeite as regras e estimule as transformações."

O presidente da Rio Galeão, Luiz Rocha, prometeu melhorias a partir de amanhã, quando a iniciativa privada assume de vez o controle do aeroporto. "A partir de amanhã, iniciamos intervenções constantes que vão melhorar o aeroporto gradativamente", disse Rocha.

O executivo garantiu, contudo, que os investimentos realizados (R$ 2 bilhões até 2016 e outros R$ 3 bilhões até o fim da concessão, que dura 25 anos) não provocarão aumentos nas tarifas. "Tarifas aeroportuárias são controladas e regulamentadas pela Anac. Os investimentos que serão feitos não terão nenhum impacto nas tarifas aeroportuárias", disse Rocha.

A partir desta terça-feira serão oferecidos pontos de acesso à internet rápida (gratuito por 30 minutos), novos balcões de informação com atendentes bilíngues, câmeras de segurança nos estacionamentos e novas empresas responsáveis pela limpeza e pela segurança dos terminais.

Até o fim do ano, a oferta de lojas será ampliada, bem como serão criadas novas pontes de embarque e de estacionamento de aeronaves. A sinalização do pátio de aeronaves e da pista também passará por uma revitalização. Segundo Rocha, roadshows na Europa e na Ásia já estão sendo realizados, com o objetivo de trazer novas rotas internacionais ao Galeão.

Moreira Franco destacou a responsabilidade do consórcio a partir de agora e cobrou uma operação de qualidade. "Durante a Copa, fui vítima de bullying, mas o resultado foi extremamente positivo", disse o ministro. "Vocês estão assumindo a operação em níveis extremamente altos, que foram alcançados na Copa. O patamar que vocês entram não é mais o patamar que vocês receberam quando ganharam essa concessão. Se vocês achavam que iam encontrar uma cama fácil de arrumar, se enganaram. A cama já está arrumadinha", acrescentou Moreira Franco.

A operação no Aeroporto Internacional Tancredo Neves (Confins), em Minas Gerais, também será repassada amanhã ao consórcio AeroBrasil, formado por CCR, Zurich Airport International e Munich Airport International, além da Infraero. Hoje, além do ministro Moreira Franco e do presidente da Rio Galeão, estiveram presentes o presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys, o presidente da Infraero, Gustavo do Vale, e o secretário de Estado de Turismo do Rio de Janeiro, Cláudio Magnavita.

TAGS