PUBLICIDADE
Notícias

Boa Vista: inadimplência de consumidor cresce em julho

11:20 | 12/08/2014
O indicador de inadimplência do consumidor da Boa Vista avançou 2,6% em julho, na comparação com o mesmo mês do ano passado, segundo dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Em relação a junho, a alta foi de 5,3%. No acumulado dos sete primeiros meses do ano, a inadimplência entre os consumidores cresceu 2,7%, ante o mesmo período de 2013. Nos 12 meses encerrados em julho de 2014, a variação da inadimplência chegou a 2,2%, ante 2,6% em igual período do ano anterior.

A instituição destaca que os fatores relativos à inadimplência têm apresentado estabilidade - a seletividade das empresas que concedem crédito, o desaquecimento no mercado de trabalho e o aumento nas taxas de juros. "Com os últimos resultados, apesar da desaceleração na tendência de longo prazo (variação acumulada em 12 meses) observada em julho, a expectativa é de que ao final de 2014 o número de registros de consumidores inadimplentes cresça em torno de 3%", diz a nota.

Varejo

A abertura do indicador indica que houve recuo da inadimplência no varejo em todas as bases de comparação. Em julho de 2014 ante julho de 2013, a queda foi de 13,8%. No acumulado do ano, a retração foi de 9,2%, e, em 12 meses, a de 7,7%, ambos sobre iguais períodos do anterior. Já na margem, descontados os efeitos sazonais, a inadimplência entre os consumidores caiu 2,1%.

Regiões

Na análise geográfica, houve aumento da inadimplência em todas as regiões na passagem de junho para julho, já descontados os efeitos sazonais. A região Centro-Oeste registrou alta de 9,4%, na Norte, o aumento foi de 8,9%, no Nordeste, a elevação foi de 8,8%, a região Sul apresentou incremento de 5,6% e no Sudeste houve acréscimo de 3,1%.

Apesar da alta na margem, no acumulado do ano até julho, houve desaceleração da inadimplência em todas as regiões. O aumento mais expressivo foi no Sul (7,3%), seguido pelo no Centro-Oeste (6,7%), Nordeste (de 4,3%), Norte (3,1%) e Sudeste (0,6%).

TAGS