PUBLICIDADE
Notícias

Sul-americanos elogiam criação de banco

07:44 | 17/07/2014

Os presidentes da América do Sul elogiaram ontem a criação do banco dos Brics, e mostraram interesse na iniciativa, vista como uma nova fonte de recursos para projetos de desenvolvimento nesses países.


A diminuição da dependência de organismos como Fundo Monetário Internacional (FMI) e Banco Mundial para obtenção de financiamentos deu o tom .


Segundo o presidente uruguaio, José Mujica, a existência de mais alternativas além do FMI é vantajosa. “O mundo financeiro é imprevisível e a insegurança e a volatilidade do mundo atual são muito grandes”.


“O mundo precisa de uma nova ordem internacional financeira” disse o presidente da Bolívia, Evo Morales. O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, destacou que o encontro de ontem, concentrou simbolicamente a metade da população do mundo e um quarto do PIB.


Os chefes de Estado dos países-membros dos Brics --Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul-- e dos 11 demais países da América do Sul estiveram reunidos ontem. Na sessão conjunta, que compõe a programação da 6ª cúpula dos Brics, cada líder falou de seu país e de como o banco pode contribuir para o desenvolvimento e a integração da região.


Não há nenhum documento formal da reunião, nem compromissos formais. O acordo de criação do banco dos Brics foi assinado na terça-feira, em Fortaleza. Os congressos dos cinco países precisam aprovar a criação para que ele comece a funcionar, o que deve acontecer em 2016.


O banco terá US$ 50 bilhões de capital para financiar projetos de infraestrutura nos Brics, na primeira fase do banco, e em outros países emergentes. (Agência Brasil)

 

TAGS