PUBLICIDADE
Notícias

Projeto aponta oportunidades para a indústria no Ceará

Além de apontar oportunidades e desafios, o programa Apóstolos da Inovação, da Fiec, busca atrair jovens talentos para o Ceará

20:51 | 24/07/2014
NULL
NULL

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) divulgou nesta quinta, 24, o resultado da 5ª edição do projeto Apóstolos da Inovação, que busca apontar oportunidades para a indústria local. Elaborado a partir da visão de 12 estudantes universitários, o programa busca mostrar as oportunidades para aumentar a competitividade da indústria cearense. Nesta edição foram priorizados os setores da construção civil, eletrometalmecânico e químico.

 No setor de construção civil, os estudantes identificaram oportunidades em construção modular em papelão, para uso em canteiros de obra; fibroconcreto, elaborado a partir de fibra de coco verde; e impressão 3D para confecção de maquetes. O uso de papelão nas construções, por exemplo, apresentaria vantagens como maior flexibilidade de uso, menor dependência de mão de obra e por ser sustentável, pois requer menor uso de água e produz menos resíduos do que os métodos tradicionais.

 Para o setor eletrometalmecânico, a expectativa é de que com o pleno funcionamento da Siderúrgica Latino-Americana (Silat) e da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), ambas no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), além da Aço Cearense, o Ceará detenha 15% da produção de aço no Brasil. As oportunidades, nesse setor, estariam nos segmentos de laminação ou extrusão de alumínio, metalurgia do pó, Serviço de manutenção especializada em escala industrial, bem como o reaproveitamento de resíduos ricos em zinco e a produção de Metal sanitário com interior plástico.

 Hoje o Ceará produz 400 toneladas por mês de alumínio reciclado, mas 80% dessa produção é enviada para a região Sudeste, onde é beneficiada e retorna ao Ceará. O material seria destinado, principalmente, para a construção civil. Já no setor químico, foram mapeadas oportunidades na produção de álcool neutro de caju, bioplástico e de Cosméticos a base de Cera de Carnaúba.

Projeto
Iniciado em 2012, o Apóstolos da Inovação tem como um dos principais objetivos atrair jovens talentos cearenses que estudam em outros estados. Segundo o diretor do Instituto de Desenvolvimento Industrial (Indi), Carlos Matos, responsável pela iniciativa, muitos talentos do Ceará saem para estudar em instituições como o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e não regressam ao Estado por falta de apoio a novas ideias, desafios e de líderes inspiradores. “A ideia (do programa) é nos aproximar dos centros de excelência (em formação) do Brasil”, diz Matos. “A indústria precisa de novos talentos, de novas cabeças. O trabalho é para que nessa nova geração estejam os novos gestores para o Sistema (Fiec ), para a indústria e para o governo”.

 Para o presidente da Fiec, Roberto Macêdo, outro aspecto importante da iniciativa é proporcionar a aproximação entre os estudantes com representantes da indústria. “Os alunos deixam ideias para os proprietários, fazem contato e é isso que vai desenvolver o relacionamento. Com relacionamento facilita tudo.” Nesta edição, o projeto mapeou 15 novos negócios e contou com a participação de cinco empresas. Desde o início do projeto, foram criadas três startups, foram mapeadas 133 oportunidades e desafios, com a participação de 51 empresas. E dos 72 estudantes que já passaram pelo programa, quatro foram retido no Estado.

TAGS