Participamos do

ACSP: vendas em São Paulo na 1ª quinzena subiram 1,4%

18:45 | Jun. 16, 2014
Autor O POVO
Foto do autor
O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia
As vendas no varejo na capital paulista subiram 1,4% na primeira quinzena de junho ante o mesmo período de maio. Na comparação com os 15 primeiros dias de junho de 2013, a alta apurada é de 1,5%, de acordo com balanço da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

As vendas a prazo subiram 2,9% na comparação com o mesmo período de maio e 2% ante junho de 2013, aponta o Indicador de Movimento do Comércio a Prazo (IMC). As vendas à vista, por sua vez, recuaram 0,2% na comparação com maio e subiram 0,9% ante a primeira quinzena de junho de 2013. A instituição considerou a média diária de vendas, já que junho deste ano tem um dia útil a menos do que o mesmo mês de 2013.

O ritmo de vendas considerado fraco é consequência de fatores como a alta dos juros, desaceleração da concessão de crédito e confiança do consumidor em baixa. Apesar disso, em nota, a ACSP destaca a Copa do Mundo entre os fatores que podem puxar as vendas caso a seleção brasileira tenha um bom desempenho durante os jogos.

Os gastos dos turistas que visitam o País por causa do evento também podem ajudar os números do varejo. "Junho pode fechar com números melhores do que 2013 por conta das manifestações populares que prejudicaram o comércio no ano passado, derrubando as vendas", destaca ainda em nota a ACSP.

Inadimplência

O Indicador de Registro de Inadimplentes (IRI), que mede a entrada de registro de consumidores inadimplentes, caiu 9,2% na primeira quinzena de junho ante maio. Já na comparação com os primeiros 15 dias de junho de 2013, foi registrada alta de 2%.

O Indicador de Recuperação de Crédito (IRC), apurado a partir dos cancelamentos de dívidas, caiu 11,4% ante maio e subiu 1,3% na comparação com a primeira quinzena de junho de 2013.

A análise da ACSP é de que os dados sinalizam que a inadimplência, que tem recuado nos últimos dois anos, não deve cair mais. A tendência, de acordo com a instituição, é de estabilidade ou ligeira alta.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente