PUBLICIDADE
Notícias

Prefeitura adia anúncio de feriados para a Copa; sindicatos divergem sobre o decreto

18:02 | 16/05/2014
NULL
NULL
A Prefeitura de Fortaleza adiou o anúncio sobre o decreto de feriados e pontos facultativos durante a Copa do Mundo. O órgão destacou que no sábado, 17, a população, comércio, indústrias e outros setores da sociedade terão conhecimento do cronograma oficial, previsto, às 9h, na sede da Secretaria Especial da Copa (Secopa-For).

O presidente do Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas), Cid Alves informou que, para o setor, não há necessidade da decretação dos feriados. "Assistir aos jogos eu acho justo. Mas não significa dizer que o empregado deixará de trabalhar o dia todo", resumiu. Ele destacou não haver sentido nos jogos da Seleção Brasileira. "A liberdade de abrir o comércio não pode ser tolhida".

Cid Alves ressaltou que devem ser feitos acordo entre as empresas e funcionários. “Alguns comerciantes podem resolver fechar as portas após os jogos, liberando os trabalhadores, ou voltando às atividades depois das partidas. Mas é uma decisão entre os comerciantes e os empregados”, afirma ressaltando não ter conhecimento de manifestações ou recebido pronunciamentos dos sindicatos favoráveis aos trabalhadores. O discurso é reforçado pelo vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará, Luiz Gastão. “É lastimável um País que precisa crescer como o nosso, ficar num impasse desses”.

Já o diretor da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Glaydson Mota critica a necessidade de retomada do expediente de trabalho no comércio após os jogos realizados na Capital. “O comércio é um dos maiores beneficiados com a Copa do Mundo. O lucro está embutido nos produtos. Não se pode furtar isso dos trabalhadores”, resumiu.

A Lei Geral da Copa estabelece que, durante a Copa do Mundo, a União poderá decretar feriados nacionais em dias que houver jogos da Seleção Brasileira. Os estados e municípios poderão declarar feriado ou ponto facultativo os dias de sua ocorrência em seu território.

Átila Varela

TAGS